sábado, 5 de outubro de 2013

A bíblia não fala em dinossauros

ARGUMENTO: “Por que a palavra dinossauro não aparece na bíblia?”

Através do registro fóssil sabemos que no passado a Terra foi habitada por animais gigantescos. Alguns deles, como o Diplodoco, por exemplo, chegavam a medir 27 metros de altura e pesavam mais de 20 toneladas. Para o neo-ateu, o fato de a bíblia não falar sobre esses animais gigantescos é uma prova contra sua inspiração sobrenatural. Mas por que a palavra “dinossauros” não aparece na bíblia? A resposta é simples: essa palavra ainda não tinha sido inventada na época em que a bíblia foi escrita.

Os livros seculares dizem que a primeira descoberta do que mais tarde foi chamado de dinossauro foi em 1677 quando o Dr. Robert Plot encontrou ossos tão grandes que pensou que eram de um elefante gigante ou de um ser humano gigante. (Benton, “Dinosaurs: An A-Z Guide”, pág. 14).

 Até então não existia ainda um nome para identificar esses animais, porém, em 1841 o paleontólogo britânico Richard Owen inventou a palavra “dinossauro” para identificar esses répteis.  (D. Dixon, B. Cox, G.J.G. Savage, and B. Gardiner, “The Macmillan Illustrated Encyclopedia of Dinosaurs and Prehistoric Animals” (New York: Macmillan Publishing Co., 1988), pág. 92).

Essa palavra é uma junção de duas palavras gregas: “deinos” (terrível) e “sauros” (lagartos). Literalmente “lagartos terríveis”.

Mas será que a bíblia não fala mesmo em dinossauros?

Talvez até fale! A bíblia cita um animal chamado “beemote” que é descrito em detalhes em Jó 40: 15 – 24. Apesar de alguns comentaristas o identificarem como um hipopótamo, suas características lembram um dinossauro, e não um hipopótamo. Lembrando que a palavra beemote significa “besta” (lit. animal quadrúpede de grande porte), ou seja, é uma palavra de significado vago. Como nenhum animal vivo correspondia à descrição dada pela bíblia, alguns tradutores sugeriram que o beemote poderia ser o hipopótamo do Nilo, e assim algumas versões bíblicas traduzem beemote como hipopótamo ou elefante.
  Segundo o livro de Jó, esse animal comia ervas, tinha músculos no ventre e movia a cauda como um cedro. Vamos frisar essa última característica: “move a cauda como um cedro”. 

Cedros geralmente são árvores de grande porte, com tronco comumente reto. O esplendor dessa árvore foi muitas vezes mencionado na bíblia (Isaías 2:13, Ezequiel 31:3). Acontece que a cauda minúscula do hipopótamo está longe de poder ser comparada a um cedro, mas a cauda de um dinossauro lembra bem um cedro.


  Mas como Jó poderia ter visto um dinossauro se os mesmos foram extintos há 65 milhões de anos?
Longe de mim querer desmerecer os estudos científicos, mas também não devemos fechar os olhos para os fatos que estão bem debaixo de nosso nariz! Os mesmos cientistas que afirmam de forma veemente que os dinossauros estão extintos há pelo menos 65 milhões de anos, também afirmavam que o triops, a tuatara, o celacanto, o tubarão-cobra e tantos outros animais também estavam extintos há milhões de anos, mas não estão.


Mas será que Jó viu mesmo um dinossauro? É possível! Ao contrário do que a ciência convencional ensina, existem muitas evidências de que homens e dinossauros foram contemporâneos, veja alguns exemplos:

Pinturas rupestres:

Minas Gerais, Vale do Peruaçu (seria um elasmosaurus?):

Lake Superior Provincial Park - Ontario, Canada - Estegossauro?

Montrose, Colorado - Triceratops?

Desenho em caverna de índios norte-americanos:


Desenho encontrado numa caverna (Havasupai Canyon - EUA)


                                        Pintura feita pela tribo Kuku Yalanji - Austrália

Esculturas de El Toro:

 Material orgânico preservado em fóssil de dinossauro (como esse material foi preservado por 65 milhões de anos?)

Numa montanha da China, por exemplo, foram encontrados cerca de 20 mil fósseis de dinossauros, e muitos deles ainda preservavam tecidos moles (vide). Aliás, é muito comum encontrar tecido mole preservado e até DNA nesses fósseis: vide (aqui), (aqui), (aqui) e (aqui)...


Carcaça não identificada encontrada presa na rede do barco pesqueiro japonês Zuiyo-Maru - 1977, Abril - Costa da Nova Zelândia:

Observando esse grande mosaico abaixo (Mosaico Nilótico da Palestrina), que pertence ao período tardio Helenístico, podemos perceber alguns detalhes interessantes: criaturas bem semelhantes a dinossauros sendo atacadas por humanos. Veja primeiro o mosaico completo:

Mosaico Nilótico da Palestrina

Agora vamos dar um zoom para que você perceba esse detalhe interessante no mosaico:


Que animal seria esse? Ele te lembra alguma coisa?





Veja também esse documentário muito interessante do The History Channel:


Será que Jó viu mesmo um dinossauro? Acho muito provável, e você?


Só uma observação:

Quando mostramos essas evidências aos neo-ateus, a resposta mais comum é a seguinte:

"Os povos antigos também desenharam naves espaciais nas cavernas e isso não prova que seres extraterrestres conviveram conosco".

Se o neo-ateu usar esse argumento com você, diga o seguinte para o asno:

"Nós sabemos como eram os dinossauros porque vemos os seus fósseis, e dessa forma podemos identificar um dinossauro num desenho. No entanto nunca vimos uma nave espacial! Como, pois, vocês sabem que o que esses povos desenharam eram de fato naves espaciais?"




















15 comentários:

  1. Olá... Eu acredito firmemente que Jó tenha visto algo monumental como um dinossauro, segundo as descrições que Deus faz sobre o mesmo. Mas tem um outro detalhe muitíssimo interessante no capítulo 41 de Jó, principalmente nos verso 18 à 21. Nota-se que não se trata apenas de um "dinossauro", mas de um "Dragão". Esses versículos poderiam facilmente acabar com a dúvida que se tem sobre a existência de Dragões. O que você acha?

    ResponderEliminar
  2. Olá Acyr Júnior. Desculpe pela demora em responder. Não sei se vc sabe, mas enquanto que nas bíblias protestantes o livro de Daniel termina no capítulo 12, nas bíblias católicas esse livro vai até o capítulo 14. Isso porque a bíblia católica vai além do texto hebreu e mostra também a parte traduzida segundo a edição de Teodocião. No capítulo 14, a partir do versículo 22, esse livro fala claramente na existência de um dragão que era adorado pelos babilônios, os quais diziam que o tal dragão era um "deus vivo". Daniel teria matado o tal dragão. Interessante, não?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Você já assistiu a série Criacão x Evolucão do Adauto Lourenço? É sensacional, eu recomendo.

      Eliminar
    2. quem garante que o dragão também não fosse um dinossauro,esses animais como o leviatã,o beemote e os dragões citados podem muito bem ser espécies de dinossauros ou de outros repteis já exintos atualmente.
      seria legal um post falando sobre mais esses animais que a bíblia cita.

      Eliminar
  3. Como vcs explicam que os dinossauros existiram a milhões de anos se, de acordo com a bíblia, o mundo existe a aproximadamente 6 mil anos? O que deus estava fazendo durante todo esse momento de formação da terra? E os outros planetas?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exes milhões de anos são de acordo com datações de carbono, mas esses testes são imprecisos, isso por que não se sabe se ouve variações na taxa de carbono.

      Eliminar
    2. o cara fala de acordo com a bíblia.a bíblia não fala isso logo podemos perceber claramente que o cara nem se quer leu a bíblia ou só leu o que lhe convem.não precisa comprar uma graças a internet podemos ler a bíblia online.faça isso e você vera.

      Eliminar
  4. Vocês afirmarem que dinossauros e homens viveram num mesmo período só pode ser uma piada ateísta!!E falar que escritores da bíblia podem ter visto tais animais beira um circo de palhaçadas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Palhaçada é dizer que viemos de macacos

      Eliminar
    2. ESTAMOS FALANDO COISA SÉRIA E VEM VOCÊ DE PALHAÇADA... VAI ENCHER O CU DE ROLA

      Eliminar
    3. Jó tinha um dragão.
      As evidências sobre a convivência entre humenos e dinossauros são irrefutáveis.
      Pesquise sobre mokele mbeme e os relatos do Congo e Camarões, que os nativos de lá afirmam ter visto (atualmente) criaturas semelhante aos dinossauros.
      E as pinturas rupestres de diferentes culturas, e distintas uma da outra.
      Palhaçada é continuar a cobrar dízimo, mesmo sendo abolido pelo sangue do cordeiro (hebreus 7).
      Palhaçada é dizer com versículos isolados, que um dia houve um ser iluminado que fez guerra no céu e foi expulso pro inferno (João 8:44).
      Palhaçada é a demoniologia da prosperidade (tenho a agulha, quero ver alguém passar o camelo).
      No mais essa matéria é bem plausível.

      Eliminar
    4. Jó tinha um dragão.
      As evidências sobre a convivência entre humenos e dinossauros são irrefutáveis.
      Pesquise sobre mokele mbeme e os relatos do Congo e Camarões, que os nativos de lá afirmam ter visto (atualmente) criaturas semelhante aos dinossauros.
      E as pinturas rupestres de diferentes culturas, e distintas uma da outra.
      Palhaçada é continuar a cobrar dízimo, mesmo sendo abolido pelo sangue do cordeiro (hebreus 7).
      Palhaçada é dizer com versículos isolados, que um dia houve um ser iluminado que fez guerra no céu e foi expulso pro inferno (João 8:44).
      Palhaçada é a demoniologia da prosperidade (tenho a agulha, quero ver alguém passar o camelo).
      No mais essa matéria é bem plausível.

      Eliminar
    5. concordo com você essas evidencias achadas não mentem.

      Eliminar
  5. Palhaçada é dizer que viemos de macacos

    ResponderEliminar
  6. LEVIATÃ =leviatã
    substantivo masculino
    1.
    mit monstro marinho do caos primitivo, mencionado na Bíblia, e cujas origens remontariam à mitologia fenícia ☞ inicial freq. maiúsc.
    2.
    p.metf. p.ext. pol o Estado, como soberano absoluto e com poder sobre seus súditos que assim o autorizam através do pacto social ☞ inicial maiúsc. Jó 41O Livro (OL)

    41 “Poderias tu pescar o leviatã com linha e anzol?
    ou atar-lhe a língua com uma corda?
    2 Serias tu capaz de o prender com uma corda no nariz,
    ou furar-lhe as queixadas com uma escápula?
    3 Porventura iria ele pedir-te que desistisses das tuas intenções
    e tentar brandamente fazer-te mudar de ideias?
    4 Aceitaria alguma vez que fizesses dele teu escravo
    para toda a vida?
    5 Farias tu dele um animalzinho domesticado,
    como um passarinho, que se cria numa gaiola,
    que darias às tuas filhinhas para brincarem?
    6 Os teus companheiros de pesca
    vendê-lo-iam aos comerciantes, na lota?
    7 A sua pele, poderia ela ser furada por ganchos,
    ou a cabeça presa por arpões?
    8 Se lhe pusesses as mãos em cima,
    durante muito tempo haverias de te lembrar
    da luta que se seguiria,
    e nunca mais o farias outra vez!
    9 Não. É absolutamente inútil tentar capturá-lo.
    Até só o pensar nisso aterroriza!
    10 Não há ninguém que seja tão ousado, que se atreva a provocá-lo
    e muito menos a conquistá-lo.
    Pois se ninguém lhe pode resistir,
    quem poderia então erguer-se contra mim?
    11 Nada recebi de ninguém.
    Tudo o que existe debaixo dos céus é meu.
    12 Também quero fazer referência à tremenda força dos seus membros,
    e à sua enorme estrutura.
    13 Quem poderia penetrar a sua pele,
    ou quem ousaria ficar ao alcance das suas goelas?
    14 Quem jamais lhe abriu o focinho
    guarnecido como está de dentes terríveis?
    15/17 As escamas sobrepostas que possui são o seu orgulho,
    são como uma protecção compacta,
    de tal forma que nem o ar lá penetra: nada ultrapassa aquela barreira.
    18 Quando espirra, a luz do sol reflete-se sem cintilações,
    semelhantes a raios, por entre os vapores da alva.
    19 Seus olhos brilham como faíscas. Sai-lhe fogo da boca.
    20 O fumo brota das suas narinas,
    até parece uma panela fervendo com água,
    ou uma caldeira aquecida.
    21 É verdade, a sua respiração bastaria para acender carvões
    — jorram-lhe chamas da boca.
    22 A força enorme que tem no pescoço lança o terror por onde passa.
    23 Tem uns músculos duros e firmes; nem se encontra nele carne flácida.
    24 O seu coração é duro como uma rocha, é como uma mó, de moinho.
    25 Quando se ergue, até os mais valentes têm medo,
    e ficam paralisados de terror.
    26 Não há espada que o detenha, nem qualquer outra arma,
    seja lança, dardo ou flecha.
    27 Ferro, para ele, é como palha, e o bronze, como madeira podre.
    28 Não são setas que o fariam fugir.
    Pedras das fundas valem para ele tanto como estolho.
    29 Uma tranca que lhe seja atirada, é perfeitamente inútil,
    e fica-se a rir das lanças projectadas na sua direcção.
    30 O ventre, tem-no recoberto de escamas;
    espoja-se sobre o chão duro como sobre relva!
    31 Quando se desloca deixa atrás de si um rasto de espuma.
    Agita violentamente os abismos dos oceanos.
    32 Deixa atrás de si um sulco brilhante de espuma;
    poderia pensar-se que o mar gelou!
    33 Não há nada mais tremendo, sobre a face da terra,
    que se lhe possa comparar.
    34 De todos os animais, é o mais altivo — é o monarca deles todos.”

    ResponderEliminar