quinta-feira, 10 de outubro de 2013

O "problema" da faringe

ARGUMENTO: “O ar que respiramos passa pelo mesmo canal que os alimentos, e isso pode provocar engasgamentos. Como um projetista inteligente faria uma gambiarra dessas?”



Nossa faringe é compartilhada pelos sistemas respiratório e digestório. Isso significa que tanto o ar como os alimentos vão passar pelo mesmo canal. Depois de passar pela faringe os alimentos vão seguir em direção ao esôfago, e o ar vai para a laringe. Contudo, pode acontecer de o alimento “errar o caminho” e ir em direção da laringe, provocando o engasgamento.
Os neo-ateus adoram falar sobre isso. Eles geralmente se referem à faringe de forma escrota, chamando-a de “cano”.



Para os neo-ateus o ideal seria que o homem tivesse dois canais (dois “canos” na linguagem escrota deles), um apenas para a passagem do ar e o outro apenas para a passagem dos alimentos. Isso, segundo eles, evitaria o engasgamento. Mas será que esse design realmente funcionaria? De forma alguma! Esse design neo-ateísta provocaria a extinção humana! Vou explicar:

Como os sistemas digestório e respiratório compartilham o mesmo canal (faringe), podemos respirar pela boca também. A boca serve como um mecanismo reserva para a respiração. Se seu nariz ficar entupido, você pode respirar pela boca. Mas se tivéssemos canais separados, um só para a passagem de ar e outro só para a passagem dos alimentos, como os ateus querem, a boca não poderia ser usada para respirar, e, portanto a pessoa morreria sufocada logo na primeira vez que o nariz dela ficasse entupido.

Belo design esse dos ateus, não é? Uma simples gripe seria capaz de te matar!

É obvio que esse compartilhamento da faringe não foi projetado à toa! Esse mecanismo foi projetado para garantir que a pessoa continue respirando mesmo que seu nariz esteja congestionado. A respiração é indispensável e não pode ser interrompida, daí esse mecanismo reserva! Um sistema otimizado e muito eficaz.
É claro que podem ocorrer falhas nesse sistema, assim como em qualquer outro sistema projetado por mentes inteligentes. Meu Windows, por exemplo, vive dando bugs, mas nem por isso vou sair por ai dizendo que esse software é fruto do acaso! É óbvio que ele foi projetado. Qualquer sistema projetado está sujeito a falhas, e a freqüência com que essas falhas ocorrem nos dirá se o sistema é eficiente ou não.

E o que diremos então da faringe? Esse sistema compartilhado é eficiente ou não?




Existe uma pequena válvula bem no início da laringe chamada epiglote. Essa válvula foi projetada para impedir que o alimento entre pelo canal do ar durante a deglutição. Só que a epiglote é que nem goleiro! Você só lembra dela quando ela falha... Na verdade a epiglote é uma válvula muitíssimo eficiente, pois utilizamo-la dia e noite sem percebermos. Toda vez que engolimos saliva (e isso nós fazemos o tempo todo), a epiglote entra em funcionamento. Quando tomamos água, ou comemos algo, a epiglote logo se encarrega de fechar a ligação da faringe com a glote, e isso de forma automática.



De qualquer forma é muito melhor estar sujeito a se engasgar de vez em quando do que morrer sufocado só porque o nariz entupiu! O “design melhorado” dos ateus é tão xexelento como seus argumentos.

2 comentários:

  1. «Belo design esse dos ateus, não é? Uma simples gripe seria capaz de te matar!» - E que tal um organismo optimizado para melhor resistir às gripes? Afinal é um designer inteligente todo-poderoso!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ainda sim o design inteligente é bem melhor do que o design que os ateus criaram.

      Eliminar