segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Você também é ateu em relação aos outros deuses?

ARGUMENTO: “Você também é ateu em relação aos outros deuses



É um argumento bobinho, mas tem sido muito utilizado na Web! Para alguns neo-ateus, o fato de o cristão só acreditar em um único Deus, o torna “ateu” em relação aos demais deuses.
“Você também é ateu”, diz o neo-ateu, “pois não acredita em Brahma, Shiva, Zeus, Thor e etc...”

Exemplo do uso do argumento


O problema é que a maioria dos neo-ateus desconhecem o próprio significado da palavra ATEU!

Etimologia da palavra

A palavra “ateu” tem origem na língua grega. Ela é formada pela partícula de negação “a” juntamente com a palavra “theós”, que em grego significa “deus”. Portanto ateu (gr. Átheos) é aquele que nega a existência de qualquer divindade.

Cristãos são monoteístas: seguem e acreditam em apenas um Deus. O fato de o cristão acreditar num Deus já o desqualifica como “ateu”, pois o ateu NEGA ou NÃO CRÊ na existência de QUALQUER deus. A palavra ateu indica “ausência de Deus”. Não existe essa de ser “ateu em relação a algo”! Ou você é ateu ou não é.



Eu poderia usar o mesmo “arjumento”, digo, argumento, em relação a monogamia, veja:

“Tua mulher é casada apenas com você, logo, ela é solteira em relação aos outros homens”

Isso faz sentido? É claro que não! Ou a mulher é casada ou não é! Ela não pode ser casada e solteira ao mesmo tempo. Ateísmo não é um termo relativo.

8 comentários:

  1. “Tua mulher é casada apenas com você, logo, ela é solteira em relação aos outros homens”
    #ERRADA essa comparação supra , afinal, Mulheres nao se auto denominam Serem seres com Poderes Sobrenaturais, a exemplo de Jeováh, Jesus, Zeus, Thor, Shiva.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jorge, a comparação foi feita com ateus e não com Deus. Ateus também não se denominam seres com poderes sobrenaturais. Então a comparação do artigo foi válida.

      Eliminar
  2. Jorge, um tremendo retardado mental neo ateu militante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Calma. Discussões se ganham com argumentos. Lembremo-nos de quando Pedro cortou a orelha do guarda imperial, o Messias mandou-lhe guardar a espada.
      Ter o direito de ser ignóbil também faz parte do pacote do livre arbítrio.
      Que o Altíasimo nos abençoe. E ao Jorge também.

      Eliminar
    2. Calma. Discussões se ganham com argumentos. Lembremo-nos de quando Pedro cortou a orelha do guarda imperial, o Messias mandou-lhe guardar a espada.
      Ter o direito de ser ignóbil também faz parte do pacote do livre arbítrio.
      Que o Altíasimo nos abençoe. E ao Jorge também.

      Eliminar
  3. Caso se questione a um cristão: "Thor existe?" O que ele respondera? Não! Ou seja, sendo Thor um deus de uma outra crença, o cristão estaria negando (a) um deus (theos), portanto estaria praticando um ateísmo relativo, se assim é possível afirmar. A analogia com uma mulher casada, não se aplica, entendo, haja vista que o casamento se trata de uma situação legal, verificável, sem qualquer relação com crenças, uma instância objetiva, real. Sob este aspecto, poderíamos dizer que o religioso pratica ateísmo relativo, já o ateu se trata de um estado absoluto.

    ResponderEliminar
  4. Já começa errado. Thor era uma deidade menor, no máximo um semi deus. Logo a negação de uma entidade, não o faz ateu, e sim, monoteísta, ou politeísta de outras crenças. Mas como o próprio artigo deixa explícito no sentido etimológico, o prefixo "a" indica negação a qualquer divindade.
    Ateísmo relativo é o que eu vejo quando alguém se diz ateu e satanista. Só o fato de se dizer satanista já exclui o ateísmo, deveras que o sujeito em questào já alude à uma crença específica.
    O exemplo do casal é palpável sim. Pois isso é extrínsico ao aspecto moral, religioso ou civil. Acaso sendo nós brasileiros, seríamos apátridos em relação aos demais países? Só em uma mente relativista isso seria plausível. E eu vejo pessoas casando no religioso também. Seu argumento não se sustenta.
    Deus te abençoe!

    ResponderEliminar