segunda-feira, 4 de novembro de 2013

A Suécia é um país ateu?

ARGUMENTO 1: “A Suécia é um país ateu”

ARGUMENTO 2: “Países ateus são mais desenvolvidos e mais pacíficos”



A Suécia é um país pacífico, de boa economia, tem baixos níveis de corrupção política e um elevado índice de desenvolvimento humano! É realmente um exemplo para o resto do mundo! Não é de se admirar que alguns grupelhos neo-ateístas estejam querendo rotular a Suécia como um “país ateu”.
Veja o que encontrei noYahoo Answers:



Note como o sujeito tenta relacionar o desenvolvimento de alguns países com o ateísmo. O raciocínio é simples: Quanto maior for o número de ateus num país, mais desenvolvido ele será. Ou: Quanto mais desenvolvido for o país, mais ateus ele terá.

Seria isso um fato? A Suécia é realmente um país ateu?

Os neo-ateus afirmam com freqüência que 85% da população da Suécia não acredita em Deus, ou seja, são ateus. Você, por acaso, já se perguntou de onde eles tiraram essa informação?
Essa informação na verdade vem de uma pesquisa realizada por um sociólogo norte-americano chamado Phil Zuckerman.  No entanto as estatísticas de Zuckerman possuem um grave problema técnico. Note que em todas as estatísticas existem grandes oscilações de porcentagem, exemplo – Suécia (46 a 85%). Isso normalmente indica falha na metodologia utilizada.

Além disso, ela contradiz várias outras fontes confiáveis como enciclopédias, livros didáticos e até os sites oficiais dos países mencionados. A pesquisa de Zuckerman provavelmente classifica como “ateus”, pessoas sem religião determinada, budistas, agnósticos e outros movimentos não necessariamente ateus. Daí o erro.

Os budistas são ateus?



Eis a questão!  Seria correto incluir os budistas no número de ateus? O budismo é uma religião sem deus. Para eles a Vacuidade, ou o Vazio, é o fundamento que dá base à existência de todas as coisas, em sua assertiva tão conhecida: "A Forma é o Vazio, o Vazio é a Forma" (Mahaprajnaparamita-Hrid­aya). Eles não consideram Buda um deus, apenas seguem suas idéias. O Budismo veio de uma tradição onde a figura de Deus não está presente, mas isso não significa que os budistas estejam afirmando que Ele não existe. Portanto não se pode dizer que os budistas são ateus. O ateísmo é uma posição filosófica, como indica o sufixo ISMO no final da palavra, portanto, para ser ateu, a pessoa precisa se posicionar sobre a existência de Deus, o que não acontece no caso dos budistas (que não afirmam e nem negam, apenas não faz parte da cultura deles).

Voltando ao assunto:

Segundo o site oficial da Suécia (Sweden.se), 8 a cada 10 suecos são membros da Igreja da Suécia, e 9 a cada 10 enterros nesse país seguem o cerimonial cristão. Que ateus seriam esses que freqüentam igrejas cristãs e enterram seus mortos realizando rituais religiosos? É óbvio que tem alguma coisa errada nessa pesquisa de Zuckerman.
É claro que o número de ateus na Suécia é grande, se comparado com outros países, mas os ateus ainda são minoria na Suécia. 

Todas as fontes confiáveis indicam que a Suécia ainda é um país cristão:

Clique na imagem para aumentá-la 

SUÉCIA: Religião – predomina o luteranismo (94%), que é a RELIGIÃO OFICIAL (fonte: Novo Atlas Geográfico Mundial edição 33, editora Michalany, pág.56).

Aliás: “Se número elevado de ateus fizesse bem para um país, a União Soviética não teria falido”.

Os neo-ateus também insistem em dizer que quando um país tem um número elevado de ateus ele se torna mais pacífico. Isso porque esses fanfarrões acreditam que a religião é responsável pela maioria das guerras e conflitos pelo mundo.  Contudo, o país mais pacífico do mundo, segundo uma lista recente do Global Peace Index, é a Islândia (que nem é um país laico e tem a igreja Luterana como a igreja oficial do Estado). O site oficial da Islândia diz que 80% da população do país pertence à igreja Luterana (VIDE).

Outros países também são citados pelos neo-ateus que se baseiam na pesquisa de Zuckerman: Suécia, Dinamarca, Noruega e Japão.  Porém, NENHUM desses países pode ser considerado ateu! Suécia, Dinamarca e Noruega são países de maioria protestante. Japoneses alternam entre o budismo e o xintoísmo.
O ateísmo é minoria em quase todos os países do mundo, raramente ultrapassam 5% da população de um país, veja:
País
Religião (% de cada religião)
Ano
Albânia
islamismo 38,8%, cristianismo 35,4% (católicos 16,8%, ortodoxos 16,1%, outros 2,6%), sem religião 16,6%, ateísmo 9%, bahaísmo 0,2%
2000
Alemanha
cristianismo 75,8% (protestantes 37%, católicos 34,9%, outros 6,7% - dupla filiação 2,8%), sem religião 17,2%, outras 4,8%, ateísmo 2,2%
2000
Andorra
cristianismo 93,4% (católicos 89,2%, outros 4,3%), sem religião 5%, outras 1,5%
2000
Angola
cristianismo 94,1% (católicos 62,1%, protestantes 15%, outros 16,9%), crenças tradicionais 5%, sem religião e ateísmo 0,9%
2000
Arábia Saudita
islamismo 93,7%, cristianismo 3,7% (católicos 2,9%, outros 0,9%), outras 2%, sem religião 0,6%
2000
Argentina
cristianismo 92,9% (católicos 91,2%, outros 14,7% - dupla filiação 13%), outras 4%, sem religião 2,3%, ateísmo 0,8%
2000
Austrália
cristianismo 79,3% (católicos 28,6%, anglicanos 21,5%, protestantes 13,9%, sem filiação 12,6%, outros 9,4% - dupla filiação 6,7%), sem religião 14,5%, outras 4,4%, ateísmo 1,7%
2000
Áustria
cristianismo 89,8% (católicos 75,5%, outros 14,2%), sem religião 6,8%, outras 2,5%, ateísmo 0,8%
2000
Bahamas
cristianismo 92,3% (protestantes 54,5%, católicos 15,6%, anglicanos 8,9%, outros 13,2%), sem religião 5,3%, outras 2,3%
2000
Barein
islamismo 82,4%, cristianismo 10,5% (independentes 4,4%, católicos 4,1%, outros 2%), hinduísmo 6,3%, sem religião 0,5%, outras 0,4%
2000
Belarus
cristianismo 70,3% (ortodoxos 48,7%, católicos 13,2%, sem filiação 5,9%, outros 2,5%), sem religião 24%, ateísmo 4,9%, outras 0,9%
2000
Bélgica
cristianismo 88,3% (católicos 80,9%, outros 7,3%), sem religião 5,8%, outras 4,1%, ateísmo 1,7%
2000
Belize
cristianismo 90,8% (católicos 56,8%, protestantes 16,4%, sem filiação 9%, outros 8,7%), bahaísmo 2,9%, hinduísmo 2,3%, outras 3,2%, sem religião 0,8%
2000
Benin
crenças tradicionais 51,5%, cristianismo 28% (católicos 20,8%, outros 7,2%), islamismo 20%, sem religião e ateísmo 0,3%, outras 0,3%
2000
Bolívia
cristianismo 94,1% (católicos 88,3%, protestantes 6,4%, outros 3,9% - dupla filiação 4,5%), outras 4,1%, sem religião e ateísmo 1,7%
2000
Bósnia-Herzegóvina
islamismo 60%, cristianismo 35% (ortodoxos 17,6%, católicos 17,2%, outros 0,2%), sem religião e ateísmo 5%
2000
Brasil
cristianismo (católicos 73,6%, evangélicos 15,4%), espiritismo, judaismo, cultos afro-brasileiros e outros (10,8%)
2000
Burkina Fasso
islamismo 48,6%, crenças tradicionais 34,1%, cristianismo 16,7% (católicos 9,5%, outros 7,2%), sem religião 0,7%
2000
Burundi
cristianismo 91,7% (católicos 57,2%, sem filiação 14,7%, protestantes 12%, outros 7,8%), crenças tradicionais 6,7%, outras 1,6%, sem religião 0,1%
2000
Cabo Verde
cristianismo 95,1% (católicos 97,4%, outros 7,7% - dupla filiação 10%), outras 4,1%, sem religião 0,8%
2000
Camarões
cristianismo 54,2% (católicos 26,5%, protestantes 20,7%, outros 7%), crenças tradicionais 23,7%, islamismo 21,2%, sem religião e ateísmo 0,4%, bahaísmo 0,4%
2000
Canadá
cristianismo 79,5% (católicos 41,8%, protestantes 17,2%, sem filiação 14,5%, outros 11,3% - dupla filiação 5,3%), sem religião 10,9%, crenças populares chinesas 2,5%, ateísmo 1,7%, outras 5,4%
2000
Catar
islamismo 82,7%, cristianismo 10,4% (católicos 6%, outros 4,3%), outras 4,6%, sem religião 2,3%
2000
Chade
islamismo 59,1%, cristianismo 22,8% (protestantes 10,2%, católicos 6,6%, outros 6%), crenças tradicionais 17%, bahaísmo 1,1%, sem religião 0,1%
2000
Chile
cristianismo 89,2% (católicos 77,6%, independentes 25,1%, outros 7% - dupla filiação 20,5%), sem religião 7%, ateísmo 2,5%, outras 1,2%
2000
Colômbia
cristianismo 96,7% (católicos 96,1%, outros 4,6% - dupla filiação 2,8%, desfiliados 1,1%), outras 1,9%, sem religião e ateísmo 1,4%
2000
Congo
cristianismo 91,2% (católicos 49,3%, protestantes 17%, outros 24,9%), crenças tradicionais 4,8%, sem religião e ateísmo 2,1%, outras 2%
2000
Costa do Marfim
crenças tradicionais 37,6%, cristianismo 31,8% (católicos 14,8%, independentes 9,3%, outros 7,7%), islamismo 30,1%, sem religião 0,3%, outras 0,3%
2000
Costa Rica
cristianismo 96,6% (católicos 91%, outros 13,2% - dupla filiação 7,6%), outras 1,8%, sem religião e ateísmo 1,7%
2000
Croácia
cristianismo 95,2% (católicos 88,5%, outros 6,8%), outras 2,4%, sem religião e ateísmo 2,4%
2000
Cuba
cristianismo 44,5% (católicos 39%, outros 5,4%), sem religião 29,8%, espiritismo 17,9%, ateísmo 7,2%, outras 0,6%
2000
Dominica
cristianismo 94,8% (católicos 79,3%, protestantes 15,8%, outros 6,4% - dupla filiação 6,7%), outras 5%, sem religião 0,1%
2000
El Salvador
cristianismo 97,6% (católicos 91,2%, outros 21,9% - dupla filiação 15,5%), sem religião e ateísmo 1,6%, outras 0,8%
2000
Emirados
Árabes Unidos
islamismo 75,6%, cristianismo 11,1% (católicos 5,1%, ortodoxos 2,9%, outros 3,1%), hinduísmo 7,6%, outras 4,6%, sem religião e ateísmo 1,2%
2000
Equador
cristianismo 97,6% (católicos 94,1%, outros 5,5% - dupla filiação 2%), sem religião e ateísmo 1,5%, outras 0,8%
2000
Eslováquia
cristianismo 85,6% (católicos 67,9%, protestantes 11,1%, outros 6,5%), sem religião 10,6%, ateísmo 3,7%, judaísmo 0,1%
2000
Eslovênia
cristianismo 92,1% (católicos 83,5%, sem filiação 4,7%, outros 3,9%), sem religião 5,2%, ateísmo 2,6%, islamismo 0,1%
2000
Espanha
cristianismo 93,6% (católicos 96,1%, outros 1,7% - dupla filiação 0,7%, desfiliados 3,5%), sem religião e ateísmo 5,7%, islamismo 0,5%
2000
Estados Unidos
cristianismo 84,7% (independentes 28,2%, protestantes 23,2%, católicos 20,8%, outros 22,4% - dupla filiação 9,9%), sem religião 9%, outras 6%, ateísmo 0,4%
2000
Filipinas
cristianismo 89,7% (católicos 82,4%, independentes 18,9%, outros 8,1% - dupla filiação 19,7%), islamismo 6,2%, outras 3,2%, sem religião e ateísmo 0,9%
2000
França
cristianismo 70,7% (católicos 82,3%, outros 6,5% - dupla filiação 5,6%, desfiliados 12,5%), sem religião 15,6%, islamismo 7,1%, ateísmo 4%, outras 2,6%
2000
Gabão
cristianismo 90,6% (católicos 60,8%, protestantes 19%, independentes 14,7%, outros 2,7% - dupla filiação 6,6%), islamismo 4,6%, outras 3,7%, sem religião e ateísmo 1,2%
2000
Granada
cristianismo 97% (católicos 56,3%, protestantes 20,4%, anglicanos 15,4%, outros 5,7% - dupla filiação 0,8%), outras 2,5%, sem religião 0,5%
2000
Guatemala
cristianismo 97,7% (católicos 84,3%, protestantes 12,7%, outros 14,4% - dupla filiação 13,7%), sem religião e ateísmo 1,8%, outras 0,4%
2000
Guiana
cristianismo 51% (protestantes 19,6%, católicos 10,1%, anglicanos 8,9%, sem filiação 7,6%, outros 4,8%), hinduísmo 32,5%, islamismo 8,1%, outras 6,4%, sem religião e ateísmo 1,9%
2000
Guiné Equatorial
crenças tradicionais 45,2%, islamismo 39,9%, cristianismo 13,2% (católicos 11,6%, outros 3,8% - dupla filiação 2,2%), sem religião e ateísmo 1,6%
2000
Guiné-Bissau
cristianismo 88,4% (católicos 86,3%, outros 8,9% - dupla filiação 6,8%), islamismo 4,1%, sem religião e ateísmo 4,9%, outras 2,7%
2000
Haiti
cristianismo 95,8% (católicos 79,3%, protestantes 17,5%, outros 10% - dupla filiação 11%), outras 2,7%, sem religião 1,4%
2000
Holanda
(Países Baixos)
cristianismo 80,4% (católicos 34,5%, protestantes 26,9%, sem filiação 15,3%, outros 3,9%), sem religião 12,9%, islamismo 3,8%, outras 1,6%, ateísmo 1,3%
2000
Honduras
cristianismo 97% (católicos 86,2%, outros 14,3% - dupla filiação 3,5%) outras 1,9%, sem religião e ateísmo 1,1%
2000
Hungria
cristianismo 87,3% (católicos 63,1%, protestantes 25,5%, outros 3% - dupla filiação 4,3%), sem religião 7,4%, ateísmo 4,2%, outras 1,1%
2000
Ilhas Salomão
cristianismo 95,7% (anglicanos 38,2%, protestantes 35,8%, católicos 10,8%, outros 10,9%), outras 3,9%, sem religião 0,3%
2000
Irlanda
cristianismo 97,2% (católicos 84,7%, outros 12,4%), sem religião e ateísmo 2,5%, outras 0,3%
2000
Israel
judaísmo 77,1%, islamismo 12%, cristianismo 5,8% (católicos 2,7%, outros 3,1%), sem religião e ateísmo 4,8%, bahaísmo 0,3%
2000
Itália
cristianismo 82,1% (católicos 97,2%, outros 2,6% - dupla filiação 0,7%, desfiliados 17%), sem religião 13,2%, ateísmo 3,4%, outras 1,4%
2000
Kiribati
cristianismo 94,4% (católicos 52,9%, protestantes 44,4%, outros 5,4% - dupla filiação 8,3%), bahaísmo 5,2%, sem religião 0,4%
2000
Kuweit
islamismo 83%, cristianismo 12,7% (católicos 8,9%, outros 3,9%), outras 3,3%, sem religião 1,1%
2000
Lesoto
cristianismo 91% (católicos 37,5%, sem filiação 23,9%, outros 29,7%), crenças tradicionais 7,7%, outras 1,1%, sem religião 0,2%
2000
Letônia
cristianismo 66,9% (protestantes 23,8%, ortodoxos 23,6%, católicos 20,8%, outros 5,1% - dupla filiação 6,4%), sem religião 26%, ateísmo 6%, outras 1%
2000
Líbano
islamismo 62,4% (xiitas 34%, sunitas 21,3%, druzos 7,1%), cristianismo 37,6% (católicos 25,1%, ortodoxos 11,7%, protestantes 0,5%)
2000
Liechtenstein cristianismo
93% (católicos 74,2%, sem filiação 10,5%, outros 8,1%), sem religião 3,9%, outras 3,1%
2000
Lituânia
cristianismo 87,6% (católicos 84,6%, outros 5,3% - dupla filiação 2,3%), sem religião 10,9, ateísmo 1,1%, outras 0,4%
2000
Luxemburgo
cristianismo 93,9% (católicos 94,4%, outros 3,7% - dupla filiação 4,2%), sem religião e ateísmo 4,5%, outras 1,6%
2000
Madagáscar
cristianismo 49,5% (protestantes 25,7%, católicos 23%, outros 7% - dupla filiação 6,2%), crenças tradicionais 48%, outras 2,3%, sem religião 0,3%
2000
Malauí
cristianismo 76,8% (católicos 24,7%, protestantes 19,6%, independentes 16,8%, outros 15,7%), islamismo 14,8%, crenças tradicionais 7,8%, outras 0,4%, sem religião 0,3%
2000
Malta
cristianismo 98,3% (católicos 94,5%, outros 3,7%), sem religião e ateísmo 1,1%, outras 0,6%
2000
Maurício
hinduísmo 44%, cristianismo 32,6% (católicos 26,8%, outros 11,1% - dupla filiação 5,3%), islamismo 16,9%, outras 4%, sem religião e ateísmo 2,6%
2000
México
cristianismo 96,3% (católicos 93,8%, outros 9,9% - dupla filiação 7,4%), sem religião e ateísmo 3,2%, outras 0,5%
2000
Micronésia
cristianismo 93,1% (católicos 62,8%, protestantes 39,6%, outros 5,8% - dupla filiação 15,1%), crenças tradicionais 3,5%, outras 2,8%, sem religião 0,7%
2000
Moçambique
crenças tradicionais 50,4%, cristianismo 38,4% (católicos 15,8%, protestantes 8,9%, outros 13,8%), islamismo 10,5%, outras 0,7%, ateísmo 0,1%
2000
Mônaco
cristianismo 93,2% (católicos 89,3%, outros 3,9%), sem religião 4,4%, outras 2,3%
2000
Namíbia
cristianismo 92,3% (protestantes 47,5%, católicos 17,7%, sem filiação 14,1%, outros 12,9%), crenças tradicionais 6%, sem religião 1,1%, outras 0,6%
2000
Nauru
cristianismo 75% (protestantes 50,8%, católicos 25,4%, outros 9% - dupla filiação 10,2%), crenças populares chinesas 10,5%, bahaísmo 9,4%, sem religião 3,5%, budismo 1,4%
2000
Nicarágua
cristianismo 96,3% (católicos 85,1%, protestantes 11,6%, outros 4,9% - dupla filiação 5,3%), outras 2,2%, sem religião e ateísmo 1,4%
2000
Nova Zelândia
cristianismo 83,5% (protestantes 24,1%, anglicanos 21,4%, sem filiação 17,1%, católicos 12,8%, outros 8,1%), sem religião 12,7%, outras 2,8%, ateísmo 0,9%
2000
Palau
cristianismo 95,7% (católicos 44,3%, protestantes 28,9%, independentes 21,1%, outros 4,6% - dupla filiação 3,2%), outras 2,6%, sem religião 1,8%
2000
Panamá
cristianismo 88,2% (católicos 77,4%, protestantes 11,9%, outros 7,1% - dupla filiação 8,2%), islamismo 4,4%, outras 4,4%, sem religião e ateísmo 3%
2000
Papua
Nova Guiné
cristianismo 95,1% (protestantes 56,6%, católicos 30%, outros 25,8% - dupla filiação 17,3%), crenças tradicionais 3,6%, outras 1,1%, sem religião 0,3%
2000
Paraguai
cristianismo 97,7% (católicos 90,1%, outros 9,3% - dupla filiação 0,7%, desfiliados 1%), sem religião e ateísmo 1,3%, outras 1,1%
2000
Peru
cristianismo 97,2% (católicos 95,7%, outros 9,9% - dupla filiação 6,3%, desfiliados 2,1%), outras 1,3%, sem religião e ateísmo 1,4%
2000
Polônia
cristianismo 97,4% (católicos 92,2%, outros 5,3%), sem religião e ateísmo 2,5%
2000
Portugal
cristianismo 92,4% (católicos 90,8%, outros 5,6% - dupla filiação 4%), sem religião e ateísmo 6,5%, outras 1%
2000
Quênia
cristianismo 79,3% (católicos 23,3%, independentes 22%, protestantes 21,2%, outros 17,2% - dupla filiação 4,4%), crenças tradicionais 11,5%, islamismo 7,3%, outras 1,8%, sem religião 0,1%
2000
República Centro-Africana
cristianismo 67,8% (sem filiação 23,3%, católicos 18,4%, protestantes 14,4%, outros 11,8%), islamismo 15,6%, crenças tradicionais 15,4%, sem religião 0,9%, bahaísmo 0,3%
2000
República Democrática do Congo
cristianismo 95,4% (católicos 50,9%, independentes 23,3%, protestantes 20,3%, outros 5,7% - dupla filiação 4,8%), outras 4,1%, sem religião 0,4%
2000
República Dominicana
cristianismo 95,2% (católicos 88,6%, outros 7,2% - dupla filiação 0,6%), sem religião e ateísmo 2,5%, outras 2,4%
2000
República Tcheca
cristianismo 63% (católicos 40,4%, sem filiação 16%, outros 6,6%), sem religião 31,9%, ateísmo 5%, judaísmo 0,1%
2000
Romênia
cristianismo 88% (ortodoxos 85,1%, católicos 14,5%, outros 12,8% - dupla filiação 24,4%), sem religião 7,4%, ateísmo 3,3%, islamismo 1,3%
2000
Ruanda
cristianismo 82,7% (católicos 51%, protestantes 21%, outros 10,8%), crenças tradicionais 9%, islamismo 7,9%, outras 0,4%
2000
Samoa
cristianismo 96,6% (protestantes 71,1%, católicos 21,9%, outros 13,5% - dupla filiação 9,9%), bahaísmo 2,3%, sem religião 1,1%
2000
San Marino
cristianismo 92,2% (católicos 88,7%, outros 3,5%), sem religião 5,1%, ateísmo 1,8%, bahaísmo 0,9%
2000
Santa Lúcia
cristianismo 96,1% (católicos 75,1%, protestantes 13,2%, outros 8,5% - dupla filiação 0,7%), outras 3,7%, sem religião 0,2%
2000
São Tomé e Príncipe
cristianismo 95,8% (católicos 75,3%, independentes 10,5%, outros 9,9%), outras 3,3%, sem religião 1%
2000
Seicheles
cristianismo 96,9% (católicos 90,4%, outros 13,8% - dupla filiação 7,3%), sem religião 1,9%, outras 1,2%
2000
Senegal
islamismo 87,6%, crenças tradicionais 6,2%, cristianismo 5,5% (católicos 4,7%, outros 0,9%), sem religião 0,4%, bahaísmo 0,2%
2000
Sri Lanka
budismo 68,4%, hinduísmo 11,3%, cristianismo 9,4% (católicos 6,7%, outros 2,7%), islamismo 9%, sem religião e ateísmo 2,3%, outras 0,4% - dupla filiação 0,8%
2000
Sudão
islamismo 70,3%, cristianismo 16,7% (católicos 10,7%, outros 11,8% - dupla filiação 5,8%), crenças tradicionais 11,9%, sem religião e ateísmo 1,2%
2000
Suíça
cristianismo 88,4% (católicos 44,1%, protestantes 41,2%, outros 5,6% - dupla filiação 2,5%), sem religião 7,1%, outras 3,4%, ateísmo 1,1%
2000
Suriname
cristianismo 50,4% (católicos 22,3%, protestantes 17,1%, outros 11,1%), hinduísmo 17,8%, islamismo 13,9%, sem religião e ateísmo 4,9%, novas religiões 4,8%, espiritismo 3,5%, outras 4,6%
2000
Tanzânia
cristianismo 50,4% (católicos 24,7%, protestantes 16,5%, outros 13,4% - dupla filiação 4,2%), islamismo 31,8%, crenças tradicionais 16,1%, outras 1,4%, sem religião e ateísmo 0,4%
2000
Timor-Leste
cristianismo 86% (católicos 100%), islamismo e crenças tradicionais 14% (1997)
2000
Togo
cristianismo 42,6% (católicos 24,3%, protestantes 10,4%, outros 8%), crenças tradicionais 37,7%, islamismo 18,9%, outras 0,7%, sem religião 0,2%
2000
Tonga
cristianismo 92,9% (protestantes 42,9%, independentes 21%, cristãos de fronteira 14,5%, católicos 14%, outros 2,6% - dupla filiação 2,1%), bahaísmo 6,7%, sem religião 0,2%, outras 0,2%
2000
Trinidad e Tobago
cristianismo 64,6% (católicos 30,7%, protestantes 13,8%, anglicanos 11,9%, outros 8,2%), hinduísmo 22,8%, islamismo 6,8%, outras 3,6%, sem religião 2,2%
2000
Uganda
cristianismo 88,7% (católicos 41,9%, anglicanos 39,4%, outros 8,3% - dupla filiação 0,9%), islamismo 5,2%, crenças tradicionais 4,4%, outras 1,1%, sem religião e ateísmo 0,6%
2000
Uruguai
cristianismo 65,3% (católicos 78,2%, outros 9,1% - dupla filiação 4%, desafiliados 18%), sem religião 26,8%, ateísmo 6,3%, outras 1,6%
2000
Vanuatu
cristianismo 93% (protestantes 53,7%, anglicanos 18,2%, católicos 15,5%, outros 13,1% - dupla filiação 7,5%), crenças tradicionais 3,5%, outras 3,2%, sem religião 0,4%
2000
Vaticano
cristianismo 100% (católicos 98%, sem filiação 2%)
2000
Venezuela
cristianismo 94,8% (católicos 94,4%, outros 5,6% - dupla filiação 5,2%), outras 3%, sem religião e ateísmo 2,2%
2000
Vietnã
budismo 49,5%, sem religião 13,5%, novas religiões 11,3%, crenças tradicionais 8,5%, cristianismo 8,3% (católicos 6,7%, outros 1,5%), ateísmo 7%, outras 2,2% - dupla filiação 0,3%
2000
Zâmbia
cristianismo 82,4% (católicos 33,5%, protestantes 29,5%, independentes 17,2%, outros 12,1% - dupla filiação 9,9%), crenças tradicionais 14,3%, outras 3%, sem religião e ateísmo 0,4%
2000
Fonte.: ALMANAQUE ABRIL - ano 2004

Note que a pesquisa acima separa os “sem religião” dos “ateus”, pois o fato de uma pessoa não ter uma religião não significa que ela não acredite na existência de Deus. Infelizmente a pesquisa que os neo-ateus adoram citar parece não fazer distinção desses dois grupos de pessoas.

Segundo um estudo, o número mundial de pessoas sem religião é maior do que o número mundial de pessoas declaradamente atéias (2,5% ateus e 12,7% não religiosos). 

57 comentários:

  1. "O raciocínio é simples: Quanto maior for o número de ateus num país, mais desenvolvido ele será."
    Errado. O raciocínio não é esse. Isso é uma distorção do raciocínio. Não é "quanto mais ateus tem, mais desenvolvido é o país", é o contrário: "quanto mais desenvolvido é o país, mais ateus tem", ou seja, não é o Ateísmo que causa desenvolvimento, é o desenvolvimento que causa Ateísmo. Religião cresce nas carências humanas (ignorância, pobreza, desespero, desesperança...), e os países desenvolvidos não tem muitas carências. Quando não se precisa curas milagrosas porque o sistema de saúde é eficiente, quando não se precisa intervenção divina pra passar no vestibular porque a escola pública é de excelência e todos tem acesso a educação de qualidade, quando não se precisa teologia da prosperidade porque já se ganha um salário digno, etc... não sobra muito espaço pras religiões. As pessoas buscam as religiões e seus deuses justamente porque estão desesperadas e sem alternativas, só lhe restam os deuses e suas mágicas. Não é por acaso que tanto se ouve religiosos dizerem que o ateu vai terminar se convertendo assim que as coisas ficarem ruins pra ele, é exatamente disso que se trata a religião: pra quando as coisas ficarem ruins.
    Também constatar a ligação secularismo-desenvolvimento e a ligação religião-subdesenvolvimento tem uma função: questionar a noção de que Jesus recompensa crentes com prosperidade, e que descrentes por sua vez são "açoitados pelo capeta" (ou coisa assim... deu pra entender). Ou seja, nações "sem Deus" como Japão desfrutam de prosperidade e qualidade de vida pra seus cidadãos que ícones de fé cristã como o Brasil não conseguem. Essa é a questão.

    “Se número elevado de ateus fizesse bem para um país, a União Soviética não teria falido”
    Os soviéticos eram COMUNISTAS, não ateístas. Eles rejeitavam e muito a RELIGIÃO ORGANIZADA e o poder de homens-santos (e não haveria de ser diferente, queriam o poder nas suas próprias mãos, e nas de ninguém mais). Só isso. Os líderes principalmente, é claro. O antagonismo dos comunistas é com a religião organizada, não com os deuses, Comunismo não impõe Ateísmo (nem Ateísmo impõe Comunismo)
    Se isso os faz ateus, então a mais nova ateísta é a dona Mara Maravilha, que jura de pés juntos não gostar de religião, que nem tem religião, só tem Jesus, que Deus não é religião, é "estilo de vida"... Religião? A Mara? Nem pensar! A Mara odeia religião e ama Jesus!
    A população nos países soviéticos não é nem foi ateísta, tinham SIM suas crenças, seus deuses, e a maioria cristã. Não há ligação entre Comunismo e Ateísmo: o Comunismo não é necessariamente ateu e o Ateismo em nada aborda Comunismo. Comunismo é sistema econômico, Ateísmo é descrença em deuses.

    "o país mais pacífico do mundo [...] é a Islândia (que nem é um país laico e tem a igreja Luterana como a igreja oficial do Estado)."
    ... e é uma das culturas mais seculares do mundo. Sim a Islândia tem um governo ainda amarrado à religião, mas a ligação entre a beligerância de um país e sua religiosidade não envolve o sistema de governo, a ligação é entre a beligerância E A CULTURA do país. Não é a intenção da estatística mostrar que descrença/ateísmo causa paz, a intenção é mostrar que não é verdade a idéia que se criou de que a paz é uma coisa cristã. Cristianismo não é certeza de paz nem ausência de Cristianismo é motivo de conflito e instabilidade, e o abismo de diferença que existe entre culturas seculares pacíficas as culturas religiosas beligerantes estão aí como prova disso. Ou seja, islandeses em grande parte não são cristãos, não vão à igrejas, mal acreditam em algum deus, mas ainda assim fizeram uma cultura pacífica e estável, sem conflitos, enquanto os cristianíssimos EUA, Inglaterra, Alemanha...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Os soviéticos eram COMUNISTAS, não ateístas"

      Os soviéticos eram COMUNISTAS E ATEÍSTAS, tanto é que procuraram promover o ateísmo como uma lei pública (http://pt.wikipedia.org/wiki/Estado_ateu)

      Se o raciocínio "quanto mais desenvolvido o país, mas ateus ele terá" fosse correto, os Estados Unidos não teriam apenas 0,4% de ateus por lá! E a Albânia, um dos países mais pobres da Europa, não teria tantos ateus!

      Eliminar
    2. "Os soviéticos eram COMUNISTAS E ATEÍSTAS"

      De novo, os soviéticos eram COMUNISTAS, não ateístas. Comunismo e Ateísmo são independentes um do outro, e pelos motivos que eu detalhei. Wikipedia é besteira, qualquer imbecil escreve qualquer coisa lá (exemplo: a tua mesma Wikipedia que num artigo diz que a USSR implementou o Estado ateísta em quase metade do mundo, em outro diz que só Albânia foi o único Estado ateu que já existiu http://en.wikipedia.org/wiki/Religion_in_Albania). Pode até ser que o Comunismo com sua rejeição às religiões organizadas aumente numa população a proporção de descrentes, mas isso é outro fator, isso é outra coisa, não é por isso que o Comunismo é ateísta ou Ateísmo é comunista.


      "Estados Unidos não teriam apenas 0,4% de ateus por lá!"

      Errado. Os 0,4% (que não são 0,4%, são 0,7%, porque 0,4% foi em 2001 e já eram 0,7% em 2008) são de autodeclarados ateus. Como as pessoas se denominam é irrelevante, o que realmente conta é o que elas identificam como sendo a suas crenças, e o fato é que 12% declaram não acreditar em um deus pessoal (a definição de Ateísmo) ou alegam desconhecer/ignorar (o que é, na prática, a mesma coisa) (http://pt.scribd.com/doc/17136871/American-Religious-Identification-Survey-ARIS-2008-Summary-Report) .

      Mas isso não faz diferença, EUA é uma exceção pra quase tudo que é regra e tendência. O fato é que é um país MUITO endinheirado, mas não é ícone de real desenvolvimento. EUA tem sim muita pobreza, ignorância... é um Brasil melhorado. Permanece o fato de que a religião sempre se assenta sobre a desesperança humana, a pobreza, a ignorância, e os EUA tá sabidamente cheio de problemas de país de terceiro mundo (mesmo sendo o Estado mais endinheirado do planeta), e é exatamente aí que se consolida a religião, a alternativa dos sem alternativa. É esse o caso de países desenvolvidos, com população sem carências, de cultura estável, com qualidade de vida, longevidade...? Não é. Não é esse o caso e é por isso que nesses há a maior proporção de descrentes.

      E pra que o raciocínio de que o desenvolvimento de um país reduz o número de crentes seja verdadeiro, não é necessário que seja a realidade de 100% dos casos, não é assim que funciona. A questão é se o raciocínio seja ou não uma regra, uma TENDÊNCIA, e o fato é que na maioria dos casos a coisa realmente funciona assim, ou seja, é sim uma regra na qual as coisas tendem a funcionar.

      Eliminar
    3. Eu sei que comunismo e ateísmo são coisas diferentes (em momento algum eu disse o contrário). Comunismo é uma doutrina política e econômica. O ateísmo é uma posição existencial diante da crença! Uma postura filosófica que rejeita a idéia da existência de qualquer deus.
      O problema é que todos os líderes comunistas da União Soviética eram ateus. A União Soviética foi um Estado declaradamente ateu desde 1922, e permaneceu assim até sua falência. Não preciso do Wikipédia para provar isso! Qualquer enciclopédia ou livro de história pode comprovar o que estou falando. Veja o que diz o Novo Atlas Geográfico Mundial edição 33, editora Michalany, pág.56:
      UNIÃO SOVIÉTICA: O Estado tem-se esforçado em propagar o ateísmo.
      Esse esforço do Estado em propagar o ateísmo resultou em igrejas destruídas, religiosos presos ou mortos e proibição de publicações religiosas.

      Eliminar
    4. Você não possui vergonha de MENTIR na cara de pau, Atadolfo?

      Governos de países comunistas eram ateus militantes declarados, perseguiram e executaram padres e sacerdotes, fecharam e destruíram a maioria das igrejas, mesquitas e templos, fizeram propaganda antireligiosa nas escolas e mataram milhões de cristãos em campos de trabalho forçado APENAS por serem cristãos junto com outras milhões de pessoas por outros motivos de uma ideologia materialista e ateísta.

      https://en.m.wikipedia.org/wiki/Persecution_of_Christians_in_the_Soviet_Union

      https://en.m.wikipedia.org/wiki/Marxist–Leninist_atheism

      http://martyredintheussr.com/about.html

      https://en.m.wikipedia.org/wiki/USSR_anti-religious_campaign_(1928–41)

      https://en.m.wikipedia.org/wiki/USSR_anti-religious_campaign_(1970s–87)

      https://en.wikipedia.org/wiki/State_atheism

      https://en.m.wikipedia.org/wiki/Persecution_of_Christians_in_the_Eastern_Bloc

      http://ateismorefutado.blogspot.com.br/2015/04/comunistas-mataram-por-tudo-menos-por.html

      Eliminar
    5. Eu gostaria de apertar a sua mão e parabenizá-lo pelo grau elevado de sanidade que possui. Parabéns!

      Eliminar
    6. Fala isso da Islândia onde cerca de 80% da população é luterana e seu Hino Nacional é um culto a Deus.

      Eliminar
  2. "O ateísmo é uma posição existencial diante da crença! Uma postura filosófica que rejeita a idéia da existência de qualquer deus"

    Errado. Ateísmo não é "posição existencial" (seja lá o que isso signifique), Ateísmo não rejeita coisa alguma. Ateísmo é descrença em divindades. SÓ. Nada mais, só isso. Não existe nenhuma questão existencial na descrença a deuses, e a tal rejeição fica por conta dos crentes, são eles que interpretam a descrença como rejeição, é a religião deles que diz que quem não acredita como eles é que "rejeita" o deus deles. Tu rejeita o Papai Noel?



    "O problema é que todos os líderes comunistas da União Soviética eram ateus"

    Não eram. Mas e se fossem? O que é que tem isso? O objetivo é dizer que os supostos maiores inibidores/perseguidores de religião seriam ateus? Não apenas isso ignora completamente a perseguição que os líderes religiosos vém fazendo há nada menos que MILÊNIOS antes do Comunismo, como também ignora que também são ateus os maiores defensores da liberdade de religião. Ou as religiões não tem nenhuma punição pro culto a outros deuses e práticas de outras religiões? A TUA religião, por exemplo, tem? TEM CERTEZA?



    "Não preciso do Wikipédia para provar isso!"

    Até então só tinha visto artigo de Wikipédia como fonte...



    "O Estado tem-se esforçado em propagar o ateísmo" / "Esse esforço do Estado em propagar o ateísmo"

    Não... Mais uma vez: os líderes soviéticos queriam o poder pra si próprios e mais ninguém. O Comunismo tem sim uma crítica forte às religiões organizadas, coisa que os líderes soviéticos usaram ao máximo pra tirar poder dos líderes religiosos e tomar pra si. É TU que interpreta isso como "espalhar Ateísmo", isso é uma OPINIÃO PESSOAL tua, é um PONTO DE VISTA, é a tua PERSPECTIVA sobre o Comunismo. Se pra ti criticar (e até inibir) religião é espalhar ateísmo, isso é contigo, mas a realidade, o fato sem ponto de vista, é que os líderes soviéticos inibiam prática e organização religiosa. O "esforço" não era o de "propagar ateísmo" era de enfraqucer lideranças adversárias. SÓ. Mais nada.



    "resultou em igrejas destruídas, religiosos presos ou mortos e proibição de publicações religiosas"

    Coisas que a religião não faz, todo mundo sabe. Isso é coisa de ateu.

    Mas ok, tô disposto a te conceder que tenha sido o "esforço pra espalhar ateísmo" que tenha perseguido e matado dissidentes na USSR. Façamos uma lista comparativa, então. Tu lista tudo que tu acha que o Ateísmo fez/faz de ruim e, o essencial, mostra a ligação entre Ateísmo, ou seja, a descrença em deuses (ou até mesmo a rejeição a eles, já que tu interpreta a descrença assim...), e a motivação pra essas coisas ruins. Eu então faço a minha lista onde eu listo o que eu acho que a religião fez/faz de ruim e, é claro, mostro o que considero ser a ligação entre a religião e as coisas ruins que atribuo a ela. Em outras palavras: tu prepara uma lista de coisas muito ruins que uma pessoa pode fazer e como se chega a elas a partir de "eu não acredito em deuses" e eu faço uma lista de coisas ruins que uma pessoa pode fazer e como se chega a elas a partir de "eu acredito em Deus" ("D" maiúsculo).

    Qual das duas listas será que é mais comprida, mais hedionda, e com as ligações mais óbvias e sólidas? Também: qual de nós dois vai defender mais a retidão e justiça das bizarrices hediondas da lista do outro? Será que eu vou dizer que Stalin tinha uma bondade e caráter acima da nossa compreensão e que por isso seus genocídios são de alguma forma corretos?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os soviéticos eram comunistas E ateístas.

      http://ateismorefutado.blogspot.com.br/2015/04/comunistas-mataram-por-tudo-menos-por.html

      A Rússia ainda hoje é um país com uma das maiores taxas de ateísmo da Europa por causa da herança soviética.

      Eliminar
    2. Você não possui vergonha de MENTIR na cara de pau, Atadolfo?

      Governos de países comunistas eram ateus militantes declarados, perseguiram e executaram padres e sacerdotes, fecharam e destruíram a maioria das igrejas, mesquitas e templos, fizeram propaganda antireligiosa nas escolas e mataram milhões de cristãos em campos de trabalho forçado APENAS por serem cristãos junto com outras milhões de pessoas por outros motivos de uma ideologia materialista e ateísta.

      https://en.m.wikipedia.org/wiki/Persecution_of_Christians_in_the_Soviet_Union

      https://en.m.wikipedia.org/wiki/Marxist–Leninist_atheism

      http://martyredintheussr.com/about.html

      https://en.m.wikipedia.org/wiki/USSR_anti-religious_campaign_(1928–41)

      https://en.m.wikipedia.org/wiki/USSR_anti-religious_campaign_(1970s–87)

      https://en.wikipedia.org/wiki/State_atheism

      https://en.m.wikipedia.org/wiki/Persecution_of_Christians_in_the_Eastern_Bloc

      Eliminar
    3. Está claro que sim. E entre aqueles que em qualquer País estudam a ciência e procuram o mistério da criação na ciência estão muito mais próximos dos Criadores e/ou Criador. Religiões são instituições de disputas e criadoras de pré-conceitos e violência em algumas. Mais ainda praticam a violência conceitual que não levam o ser humano a lugar nenhum. Compreender o Criador ou Criadores do universo nada a ver com ter de ir a uma empresa religiosa ouvir alguém dizer o que temos de fazer.

      Eliminar
    4. Está claro que sim. E entre aqueles que em qualquer País estudam a ciência e procuram o mistério da criação na ciência estão muito mais próximos dos Criadores e/ou Criador. Religiões são instituições de disputas e criadoras de pré-conceitos e violência em algumas. Mais ainda praticam a violência conceitual que não levam o ser humano a lugar nenhum. Compreender o Criador ou Criadores do universo nada a ver com ter de ir a uma empresa religiosa ouvir alguém dizer o que temos de fazer.

      Eliminar
  3. "Errado. Ateísmo não é "posição existencial" (seja lá o que isso signifique)"

    Se vc nem sabe o que é posição existencial, como é que pode negar que o ateísmo seja isso? Sim, o ateísmo é uma posição filosófica existencial. Não é simples descrença. Para se tornar ateu a pessoa primeiro tem que conhecer o conceito Deus e depois se posicionar a respeito dele. Pessoas que não conhecem o conceito Deus não podem ser consideradas ateias. Vejo muitos ateus dizendo erroneamente que "todo mundo nasce ateu". Isso é uma patacoada enorme! As pessoas nascem sem conhecer o conceito Deus. Depois que aprendem sobre esse conceito é que vão se posicionar crendo ou não.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Vejo muitos ateus dizendo erroneamente que 'todo mundo nasce ateu'. Isso é uma patacoada enorme!"

      E é! E realmente é. É uma patacoada estúpida com o objetivo de ser uma patacoada estúpida, exatamente como o "argumento do pequi". O "argumento da banana" é uma patacoada estúpida com um ponto de vista, o argumento do pequi é uma patacoada estúpida com o mesmíssimo raciocínio do argumento da banana, só que com um ponto de vista diferente. Dizer que todo mundo nasce ateu é a mesma coisa: alguém vém e diz que todo mundo nasce com uma vontade de adorar Deus porque é do ser humano querer ter respostas pra questões desconhecidas e isso é o jeito de Deus de implantar nas pessoas uma necessidade de acreditar nele, então alguém vem e responde que todo mundo nasce ateu porque só adota religiões e deuses específicos se for ensinado, do contrário não teria necessidade da explicação de deuses dado que hoje se tem respostas o suficiente

      E a propósito... nada justo do teu deus se o que tu diz for certo. É injusto ele fazer pessoas nascerem sem conhecer o "conceito de Deus" ("D" maiúsculo, nas tuas próprias palavras) e depois condená-las a castigo de tortura eterna por não conhecerem seu conceito. Isso fica ainda mais injusto (e até imoral) quando a pessoa nasce em algum lugar do mundo onde o "conceito de Deus" é desconhecido e indisponível pra que o conheça ao longo de sua vida.

      Eliminar
    2. Só passando para explicar a esse respeitável pensador que ele se enganou em algo: Normalmente, os ateus que se vê pela internet fazem exatamente esse raciocínio de que ateísmo causa desenvolvimento, nove de cada dez que saem com essa desonestidade intelectual de distorcer fatos dizendo que oitenta por cento dos habitantes de Dinamarca e companhia nórdica são ateístas e que por isso esses países vão bem. Você é dos poucos que tem esse trato fino de compreender devidamente os dados.

      Outro detalhe que vale a pena salientar é que não há um padrão definido e sensível para dizer que altos níveis de educação e IDH geram ateísmo, há países que sim, há países que não, não se enxerga um padrão claro que torne a proposição razoável, apenas se vê que a religião tende a ser menos priorizada na opinão dessas pessoas com exceção dos USA claro. Porém isso pouco tem relação com nível intelectual, se você não tem uma vida difícil, sem o básico para sobreviver, tem uma necessidade menor de religião ou de um Deus protetor.

      Conforto gera ateísmo ou menos religiosidade, não conhecimento. Uma coisa não está intrincada a outra.

      Com relação ao ateísmo comunista. Bom "O Socialismo começa Junto com o Ateísmo" Marx, Karl. Não é uma barreira tão definida como você diz, contudo eu tendo a concordar que não foram mortes em nome do ateísmo as causadas em regimes comunistas, apesar da "Liga dos Militantes Ateus" que por anos queimou igrejas e matou padres, pois era um ateísmo imposto e não auto convicto.

      Contudo o argumento ainda é válido no sentido de dizer que religião não é um bicho de sete cabeças, e que as pessoas se matariam e bem pior por outros motivos (políticos como o comunismo e o nazismo) e que via de regra a religião foi apenas coadjuvante e não protagonista dos confrontos bélicos, apenas esteve lá para legitimar outras ganâncias de líderes, que teriam conseguido seus objetivos de qualquer maneira, pois é fácil ludibriar um povo que é burro... Por falta de educação, não por presença de fé.

      Atenciosamente.

      Eliminar
  4. "Ateísmo não rejeita coisa alguma"

    Sim, o ateísmo rejeita a existência e influência dos deuses.

    ResponderEliminar
  5. Tu rejeita o Papai Noel?

    Não, eu não creio no papai Noel! Mas só posso dizer isso porque conheço o conceito de papai Noel! Se eu nunca tivesse ouvido falar no papai Noel, eu não poderia me considerar um cético no papai Noel, pois para ser cético em alguma coisa, vc precisa conhecer o conceito primeiro, para se posicionar depois! O mesmo acontece no caso dos ateus e seu posicionamento a respeito de Deus!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Não, eu não creio no papai Noel! Mas só posso dizer isso porque conheço o conceito de papai Noel !"

      Eu não te perguntei se tu crê no Papai Noel, eu te perguntei se tu REJEITA o Papai Noel. Agora começa a fazer sentido tu dizer que ateus rejeitam o teu deus, tu parece não discernir rejeição de descrença.

      Tu conhece o conceito de papai noel, então responde: tu rejeita o Papai Noel? SIM OU NÃO?

      Eu te digo o que eu penso: eu não rejeito o Papai Noel. Sou indiferente a essa personagem que me parece tão obviamente inventada e fantasiosa, apenas não acredito que seja real. O que eu rejeito é coisas reais que eu sei que existem, como comprar a simulação de comportamento moral de uma criança com uma promessa de ganho pessoal quando chegar o 25 de dezembro. A corrupção ensinada desde a infância. Isso eu rejeito. O que eu rejeito é transformar uma suposta época de reflexão sobre paz e perdão em um festival de consumo, reunir-se com amigos e parentes queridos em banquete de fartura em nome de uma idéia que não apenas proselitiza a pobreza ao invés de fartura como também que pra refeições se convida exatamente o inimigo ao invés do amigo. Com o teu deus é a mesma coisa: eu não rejeito essa personagem que me parece tão obviamente inventada e que apenas sou indiferente por não acreditar que seja real, o que eu rejeito é o culto de morte que se formou em volta dele (e de outros deuses), o que eu rejeito é a idéia de que essa vida é de menor importância, que o que vale é outra vida da qual não se tem evidência alguma que exista, que em nome disso se deva renúncia pessoal e aceitação incondicional à verdades santas reveladas por homens-santos que se auto entitulam representantes desse deus, o que eu rejeito é a substituição do que é moral e ético pelo que é santo e divino, o que eu rejeito é a idéia de que a crença de fé deva prevalecer sobre o conhecimento de ciência, etc... Eu rejeito tudo isso na religião por ser semelhante ao caso do natal, por recompensar com ganho pessoal ao final da vida (ao invés do 25 de dezembro) comportamento que considero destrutivo.

      Essa rejeição toda é independente da minha descrença, o fato de não acreditar em deus ("d" minúsculo, ou seja, Jeová incluído) é o que me faz ateu. SÓ ISSO E NADA MAIS. É possível encontrar em outros descrentes uma opinião completamente diferente da minha quanto à religião organizada, alguns podem ser indiferentes, outros podem dizer que até a enxergam como algo positivo que impede as pessoas de se matarem (e a isso eu responderia que é justamente um fator que faz com que pessoas se matem). Também se acha crentes que se digam odiadores e rejeitadores de religião (de novo: Mara Maravilha), outros acreditam nos deuses mas acham que as religiões são criadas pelo ser humano e por isso as rejeitam tanto quanto eu... Descrença em deuses e rejeição são duas coisas INDEPENDENTES.

      Eliminar
    2. Você não possui vergonha de MENTIR na cara de pau, Atadolfo?

      Governos de países comunistas eram ateus militantes declarados, perseguiram e executaram padres e sacerdotes, fecharam e destruíram a maioria das igrejas, mesquitas e templos, fizeram propaganda antireligiosa nas escolas e mataram milhões de cristãos em campos de trabalho forçado APENAS por serem cristãos junto com outras milhões de pessoas por outros motivos de uma ideologia materialista e ateísta.

      https://en.m.wikipedia.org/wiki/Persecution_of_Christians_in_the_Soviet_Union

      https://en.m.wikipedia.org/wiki/Marxist–Leninist_atheism

      http://martyredintheussr.com/about.html

      https://en.m.wikipedia.org/wiki/USSR_anti-religious_campaign_(1928–41)

      https://en.m.wikipedia.org/wiki/USSR_anti-religious_campaign_(1970s–87)

      https://en.wikipedia.org/wiki/State_atheism

      https://en.m.wikipedia.org/wiki/Persecution_of_Christians_in_the_Eastern_Bloc

      Eliminar
  6. Não eram. Mas e se fossem? O que é que tem isso?

    Não entendo essa sua relutância em aceitar o FATO de que esses líderes comunistas da antiga União Soviética eram ateus! Será que é porque eles cometeram várias atrocidades? Já citei até referências e vc continua negando sintematicamente! Vc já procurou ler sobre o assunto? Informe-se!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Será que é porque eles cometeram várias atrocidades?"

      Não, é porque simplesmente não é verdade. Mas tanto faz, eu já te concedi que eles fossem ateus. Eu te concedi e perguntei: E DAÍ? O que é que tu quer dizer com isso? RESPONDE A PERGUNTA.

      E se fossem ateus, E DAÍ? O que é que tem isso? O que é que tu quer dizer, qual é o teu objetivo, onde é que tu quer chegar? A informação "líderes comunistas eram ateus" sozinha e solta desse jeito não significa nada. Tu precisa:
      1- dizer o que é que tu quer fazer entender com isso, o teu objetivo
      2- MOSTRAR COMO se liga o "lideres comunistas eram ateus" com essa noção que tu quer transmitir
      Enquanto tu não fizer isso, o teu "líderes comunistas eram ateus" (cuja veracidade nem é chão firme, nem é entendimento comum) fica completamente inútil e sem objetivo. É tão sem importância que eu até te concedo que fossem.

      Nem precisa catar como fonte pra tua alegação uma coletânea de curiosidades que tu decidiu elevar ao status de enciclopédia, eu te concedo: eram ateus. E DAÍ? Eu já te listei os motivos pros quais não se pode concluir que os líderes comunistas eram ateus apenas por serem comunistas e inibirem lideranças religiosas, mas tanto faz, não importa. Essa possibilidade sozinha não significa coisa alguma, é irrelevante, é inútil. Tu quer que sejam ateus? Que seja, eram ateus. E DAÍ?

      Eliminar
    2. "Vc já procurou ler sobre o assunto? Informe-se!" / "fonte confiabilíssima como a enciclopédia da Michalany"

      Agora eu não sei se rio ou se choro. Sério? Alguém que se informa em Wikipedia e os primeiro 5 resultados do yahoo (sim, eu achei de onde tu fez ctrl+c ctrl+v) e que tem entendimento tão grotescamente distorcido sobre o que opina está dizendo pra outra pessoa que o corrige em seus erros para se informar? É mesmo?

      E a enciclopédia o quê?!?!?! Tão confiabilíssima que não tem uma versão online, nem uma página na rede a respeito, nada. Sabe onde é que eu consegui encontrar informação sobre essa "enciclopédia"? No mercadolivre. E adivinha só? depois de muito fuçar a rede (mais de hora) só pra achar o NOME do livro em algum tipo de referência, descubro que o atutor é um típico crente fervoroso, o jesusfreak padrão. Bem que eu tava achando meio ousada essa a afirmação tão desinibidamente direta sobre pobres igrejinhas inocentes sendo perseguidas por ateus malvadões. Não, essa fonte não é imparcial. A enciclopédia que não é enciclopédia é tão confiabilíssima, mas tão confiabilíssima que chega s ser completamente desconhecida, e ainda por cima tá atrelada a opiniões pessoais.

      Eliminar
    3. "o FATO de que esses líderes comunistas da antiga União Soviética eram ateus!"

      Não é FATO, é OPINIÃO. O que é fato é que eles perseguiam muito os líderes religiosos e inibiam a organização de religiões a ponto de proibir práticas religiosas. ESSE é o fato. Daí em diante é opinião. Concluir que eram ateus é a TUA OPINIÃO PESSOAL, é como TU INTERPRETA O FATO. Não se tem o suficiente pra dizer que eram ateus. Se tu quer que eu me corrija, eu me corrijo, então: não digo que os líderes comunistas eram ateus, só digo que não se pode dizer que de fato eram, porque rejeitar e perseguir religião não significa descrença na existência de deuses.

      Eliminar
    4. Atadolfo você não cansa de mentir?

      TODOS (com exceção de Leonid Brejnev) os líderes soviéticos eram ateus declarados.

      Além de serem ateus, eram ateus militantes. Ou seja, combateram a religião e imporam o ateísmo como doutrina oficial para a população soviética através da doutrinação nas escolas, matança de religiosos e destruição de mesquitas, sinagogas e igrejas.
      E isso não foi uma exclusividade soviética, quase todos os países comunistas fizeram exatamente a mesma coisa.

      Não é porque você não aprendeu na escolinha que esses fatos não ocorreram, sr. Atadolfo. Não é errado ser ignorante, Atadolfo, mas mentir como você está fazendo é algo completamente errado.

      Eliminar
    5. Os relatos da Biblia, para quem acredita e não se lembra, os atos de atrocidades e assassinatos foram milhares. Ateu não é sinônimo de assassino. Países com maioria religiosa assassinam pessoas em números astronômicos.

      Eliminar
    6. Os relatos da Biblia, para quem acredita e não se lembra, os atos de atrocidades e assassinatos foram milhares. Ateu não é sinônimo de assassino. Países com maioria religiosa assassinam pessoas em números astronômicos.

      Eliminar
  7. Não... Mais uma vez: os líderes soviéticos queriam o poder pra si próprios e mais ninguém.


    Ok! De-me então uma boa razão para deixar de acreditar numa fonte confiabilíssima como a enciclopédia da Michalany e passar a acreditar no que vc está dizendo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Se vc nem sabe o que é posição existencial, como é que pode negar que o ateísmo seja isso?"

      Porque essa expressão não existe. Tu inventou ela. Entende o "seja lá o que isso signifique" como "tu inventou uma expressão qualquer e arbitrou um significado pra ela sem dar a mínima pra se ela faz sendido ou não". Mas tanto faz, eu entendi muito bem o que tu quis dizer. Eu entendi e isso ficou claro no que eu te respondi (que Ateísmo não aborda questões existenciais, não há rejeição, etc...).



      "Sim, o ateísmo é uma posição filosófica existencial. Não é simples descrença" / "Sim, o ateísmo rejeita a existência e influência dos deuses"

      Não, Ateísmo não tem rejeição a coisa alguma.

      O ateu está dizendo diretamente pra ti o que ele pensa. Tu percebe que tu literalmente está me dizendo o que eu penso? Que tu sabe o que eu penso melhor do que eu sei? Que tu conhece a minha mente melhor do que eu? Tu percebe isso?

      Ateísmo é descrença. SÓ. Nada mais. Pode até ser que uma pessoa rejeite deuses e a possibilidade de influência deles, mas isso é PESSOAL do indivíduo, isso é EXTRA ao Ateísmo. O ateísmo NÃO É rejeição a coisa alguma. Dizer que Ateísmo é rejeição a deuses porque tu vê ateus que tu acha que rejeitam o teu deus é a mesma coisa que dizer que Cristianismo é politeísta porque adora três deuses (pai, filho e espírito santo) ou porque adora imagens e santos: atribuir à trindade três divindades diferentes é um ponto de vista, uma opinião, uma INTERPRETAÇÃO PESSOAL do fato mas não o fato em si, e cultuar santos/imagens é ESPECÍFICO A CATÓLICOS sem se aplicar à totalidade do Cristianismo. Alguns cristãos adoram santos dando-lhes status análogo aos de deuses? Sim. O cristianismo é politeísta por isso? Não. Alguns ateus rejeitam o teu deus? Sim. O Ateísmo rejeita o teu deus por isso? Não.

      Eliminar
    2. Maior genocídio da história foi contra os cristãos na ex-União Soviética

      O terrível custo humano do ateísmo militante.

      A história do mundo está repleta de mostras da violência dos seres humanos contra o seu próximo. Entre os grandes genocídios das últimas décadas estão as guerras étnicas em Ruanda, com 800.000 mortos, da Armênia com 1 milhão e o Holocausto, que exterminou mais de 6 milhões.

      Porém, um novo projeto está em andamento para contar uma história que nunca recebeu a atenção que merece: a campanha dos “ateus militantes” contra a fé na ex-União Soviética. Estima-se que o número de cristãos mortos pelo regime socialista ateu chega a 12 milhões. Esses dados são mostrados em detalhes no documentário “Martirizados na URSS”, que mostra as atrocidades dos regimes de Lênin, Stalin, Kruschev e outros.

      “O objetivo da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas”, explica o produtor do filme “era eliminar a religião. Para atingir esse objetivo, eles destruíram igrejas, mesquitas, sinagogas, e todos os monumentos religiosos, bem como o envio em massa de pessoas religiosas para campos de trabalho forçado da Sibéria”.

      A Liga de militantes ateus, fundada em 1929, ajudou o governo soviético no assassinato de milhares de crentes e de seus líderes. Muitos templos foram convertidos em celeiros, depósitos e “museus do ateísmo”, enquanto eram realizados com frequências manifestações que promoviam o escárnio da religião e dos fieis. Ao longo da década de 1960, por exemplo, metade das igrejas ortodoxas russas foram fechadas, além de cinco de seus oito seminários. Os ortodoxos são a maior denominação cristã da região, mas também foram perseguidos os batistas, presbiterianos, metodistas e luteranos.

      Além do martírio de cerca de 12 milhões de cristãos, centenas de milhares de judeus, muçulmanos e budistas também foram mortos por causa de sua fé.

      Kevin Gonzalez, produtor e diretor do documentário disse que o projeto surgiu quase que por acaso. Ele conheceu uma mulher em sua igreja, que veio da Rússia, e ela contou algumas das atrocidades que ocorreram por lá. Gonzalez se interessou e decidiu entrevistar os avós, os pais e alguns amigos dessa senhora e decidiu que tudo aquilo precisava ser exposto.
      Gonzalez disse ao WND que as gerações mais jovens nos países da ex-União Soviética não sabem muito sobre essa época, porque o governo decidiu eliminar esses relatos dos livros de história.

      Sob a doutrina soviética, de separação entre Igreja e Estado, as igrejas foram proibidas de doar comidas aos pobres e de realizar atividades educativas. Era uma tentativa de fazer a população “curvar-se apenas ao governo soviético”.
      Os fiéis não podiam publicar literatura religiosa e muitas igrejas foram impedidas de realizar cultos com a presença de crianças e jovens. O sistema escolar e universitário foi tomado pelos ensinamentos ateístas e antirreligiosos. Gonzalez acredita que existe o perigo de esse tipo de perseguição voltar a ocorrer em pleno século 21.

      “A nossa esperança é que as pessoas aprendam com a história da perseguição dos cristãos na URSS para reconhecer o dano causado pelo movimento ateu militante, algo que ainda existe e está decidido a ridicularizar e proibir toda forma de religião na sociedade.”

      Os criadores do filme estão lançando o DVD este mês nos EUA, e já anunciam que pretendem mostrar as consequências dos regimes ateus na Revolução Francesa, na República Popular da China, na República Socialista da Albânia, na Coreia do Norte e outros.

      Eliminar
  8. "E a enciclopédia o quê?!?!?! Tão confiabilíssima que não tem uma versão online"

    Então para que uma enciclopédia seja confiável ela deve ter uma versão online? Huuuuummmm, interessante! Que critério interessantíssimo!


    ResponderEliminar
  9. "Porque essa expressão não existe. Tu inventou ela"

    Tu inventou essa expressão tchê! kkkk! Vai lá capiroto! Acesse esse site aqui e leia um pouco sobre posição existencial:

    http://www.jornalalerta.com.br/2012/02/at-%E2%80%93-posicoes-existenciais-1/

    ResponderEliminar
  10. "Não, Ateísmo não tem rejeição a coisa alguma"

    Oh! Claro que não! O ateísmo não rejeita a existência de Deus, não é? kkkk!

    ResponderEliminar
  11. O ateu está dizendo diretamente pra ti o que ele pensa. Tu percebe que tu literalmente está me dizendo o que eu penso? Que tu sabe o que eu penso melhor do que eu sei? Que tu conhece a minha mente melhor do que eu? Tu percebe isso?

    Meu jovem! O ateísmo não se resume somente no que TU pensa! Eu abordo o ateísmo de uma forma geral. Baseio-me nos argumentos que vejo os neo-ateus usarem. Se vc não usa alguns dos argumentos refutados aqui, parabéns! Isso não quer dizer que outros ateus não os utilizem.

    ResponderEliminar
  12. Ateísmo é descrença. SÓ. Nada mais. Pode até ser que uma pessoa rejeite deuses e a possibilidade de influência deles, mas isso é PESSOAL do indivíduo,

    Filho! Não acreditar em Deus é o mesmo que rejeitar sua existência! A menos que vc seja um agnóstico que assuma não saber se Deus existe ou não. Ai tudo muda de figura.

    ResponderEliminar
  13. "Não. Alguns ateus rejeitam o teu deus? Sim. O Ateísmo rejeita o teu deus por isso? Não"

    Vejamos o significado da palavra "ateu":

    Ateu é quem não crê em Deus ou em qualquer ser superior. A palavra tem origem no Grego “atheos” que significa “sem Deus, que NEGA e abandona os deuses”. É formado pela partícula de NEGAÇÃO “a” juntamente com o radical “theos” (deus).

    O termo nasceu na Grécia Antiga para descrever aquelas pessoas que REJEITAVAM as divindades adoradas por grande parte da sociedade. Eram considerados ímpios por não acreditarem nos muitos deuses venerados.
    http://www.significados.com.br/ateu/

    Ah! Já sei! O dicionário não representa o que TU pensa!

    ResponderEliminar
  14. É... viver não é fácil... tu pode acabar ficando louco... kkk...

    ResponderEliminar
  15. Nossa meu... O cara não sabe a diferença entre não acreditar e rejeitar!

    ResponderEliminar
  16. OPA A COREIA DO NORTE É UMA PAIS ATEU.LA É UMA MARAVILHA

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é o governo ditatorial estilo monárquico de lá mesmo é uma maravilha bem como os demais países cheio de religiões para os libertá los ,caso isso que disse for uma ironia ok desculpe me ,mas se não, não se faz um comentário tão abrangente em forma de atacar oque é considerado uma religião sem informações validas

      Eliminar
  17. Atadolfo parabéns! Você tem argumentos incríveis! Humilhou o cretelho que usa Wikipedia como fonte!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não cara, todos os argumentos foram rebatidos.

      Pare de cometer falácia do pombo enxadrista.

      Eliminar
  18. Caramba, esse atadolfo é louco

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse Atadolfo é desonesto e mentiroso. Comete falácia atrás de falácia e MENTE na maior cara de pau diversas vezes.

      Neoateu é assim mesmo.

      Eliminar
  19. cada um acredita no que se sente mais confortável,afinal um bom ser humano ajuda indepemdente de espécie ou comdição buscando dignidade,valor e força atavéz de seus atos pos deles são nosso futuro

    ResponderEliminar
  20. Sim, rejeição e descrença não são a mesma coisa, mas é fato que todo ateu além de não acreditar em Deus, também rejeita a idéia de Deus. Tanto é verdade que ateus famosos como Richard Dawkins e Sam Harris já se declararam a favor da proibição da leitura da Bíblia por parte das crianças. Se eles pudessem, destruiriam todas asuas bíblias do mundo e fechariam todas as igrejas. Esse é certamente o pensamento reinante na mente de muitos ateus. Descrença e rejeição andam muito próximas uma da outra.

    ResponderEliminar
  21. A dificuldade que os crentes têm em respeitar aqueles que não compartilham de sua fé, já prova que boa "coisa" eles não são!

    ResponderEliminar
  22. sou ateu porque preciso

    confesso: acredito viver no melhor universo possível.

    não suportaria existir em um universo regido por uma força divina misteriosa e caprichosa.

    não suportaria saber que minha alma viverá eternamente, em eterno prazer ou eterno sofrimento, baseado no que fiz ou deixei de fazer nesses poucos anos terrenos, de acordo critérios inescrutáveis definidos por um ser para o qual sou menos que uma ameba.

    se existe deus, então todos os esforços da humanidade para se entender e se auto-gerir, toda a ciência e toda a filosofia, de nada valem. se existe deus, então não existe ética ou moralidade: somente adequação ou não às regras impostas por essa divindade.

    se existe deus e temos o livre-arbítrio, então o arbítrio de livre não tem nada, é uma dádiva da qual só desfrutamos porque nos foi concedida e pode ser tirada tão facilmente quanto.

    se existe deus, então a vida não tem nenhum sentido. quem tem sentido é deus e o nosso sentido provém dele. não somos mais do que suas cobaias, manipuladas daqui pra lá, correndo como hamsters em rodinhas, ignorantes de seus verdadeiros propósitos. ao seu bel-prazer, somos mortas, escravizadas, santificadas, até mesmo afogadas em massa, quando falha o experimento.

    se deus não existe e o universo é aleatório e sem sentido, a humanidade está livre para criar, através de suas ações e de seus pensamentos, de suas obras e de suas vontades, dia a dia, século a século, o seu próprio sentido.

    por outro lado, se deus existe, o universo já tem sentido, um único sentido, o sentido que vem de deus, o sentido que está dado, e só cabe a nós descobrir esse sentido e viver de acordo com ele.

    se deus existe, não há criação de sentido possível. não temos como ressignificar o mundo, a humanidade, o cosmos. não temos como dar sentido nem a um botão de rosa.

    para mim, esse sim é um universo no qual não valeria a pena nem sair da cama.

    * * *

    talvez deus realmente exista. talvez sejamos todas somente marionetes em seu projeto cósmico.

    mas, ainda assim, prefiro inverter a aposta de pascal. se não tenho a liberdade de dar sentido à minha vida, melhor então a ilusão da liberdade do que nada.

    * * *

    sou ateu não por ter concluído, após cuidadosa análise das evidências empíricas, que não existe base factual para sustentar a existência de deus.

    sou ateu porque eu só poderia existir e funcionar como ser humano em um universo sem deus.

    sou ateu porque preciso.

    a gente não acredita no que quer, a gente acredita no que pode.

    * * *

    algumas pessoas às vezes me perguntam:

    “então, você está vivo para quê?”
    “para nada,” eu respondo. “para absolutamente nada. só estou vivo. não basta?”

    a pessoa insiste:

    “qual é o sentido da sua vida, então?”
    “nenhum”, eu respondo. “absolutamente nenhum. só estou vivo. não basta?”

    algumas vezes, a pessoa desafia:

    “então, por que não se mata?”
    além de ser uma pergunta agressiva e mal-educada, confesso que nunca entendi bem essa provocação. é como se eu estivesse gostosamente me balançando em uma rede e alguém perguntasse:

    “se você sabe que vai ter que levantar daí inevitavelmente, por que não se levanta agora?”
    mas a resposta me parece simples e auto-evidente:

    “eu não me levanto agora porque agora estou muito bem aqui me balançando na rede.”

    então, não me mato agora porque agora estou muito bem aqui vivo, comendo pipoca e me masturbando, indo à praia e lendo freud, essas coisas que uma pessoa faz quando está viva. não me mato porque quero ler o próximo romance do lobo antunes e ver o próximo filme do almodovar. não me mato porque tenho pelo menos umas quatro peças de teatro e uns cinco romances na cabeça que ainda quero escrever.

    mesmo em um universo aleatório e sem deus, por que essas prosaicas razões não deveriam ser suficientes para uma pessoa não se matar?

    quando chegar a hora de levantar, eu levanto. quando chegar a hora de morrer, eu morro.

    até lá, aproveito.

    * * *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei dessa. Pelo menos você apresenta convicções, idéias concretas e uma maneira peculiar de ver as coisas.
      Não concordo. Mas respeito seu pensamento porque há argumentos ao invés de proselitismo barato.

      Eliminar
    2. Não entendo porque você não conseguiria achar sentido nas coisas se acreditasse em Deus, nada mudaria...

      Eliminar
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    4. Excelente, pode citar a fonte?

      Eliminar
  23. Ótima pesquisa, guerrova.

    ResponderEliminar
  24. Olá!! brilhante postagem!! A embaixada da Suécia diz que a porcentagem de Luteranos é 80% hj!!

    estes ateus criticam os cristãos mas divulgam mitos http://www.swedenabroad.com/pt-PT/Embassies/Brasilia/Sobre-a-Suecia/Dados-sobre-a-Suecia/

    ResponderEliminar
  25. Em 2008, o pesquisador britânico Richard Lynn concluiu que países com alto QI são mais ateus. É o caso da população japonesa, que mantém a média 105 – uma das mais altas já registradas. Um levantamento da ONU aponta que países com boa taxa de alfabetização tendem a ser mais descrentes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desde quando o Japão é descrente.
      Só porque o cristianismo não é muito difundido?
      E os rituais, oferendas, devoções à espíritos?
      Acho que seus conceitos estão deturpados.
      Sem falar no teocrático e multimilhonário Emirados Árabes Unidos.
      O que ergue uma nação não é necessáriamente uma religião, mas,a estrutura polular coletiva e familiar (sim familiar).
      Só que em países que são colônia de exploraçào (como o Brazil), se dá um ensino acadêmico pífeo (alguém disse Show do Milhão?), uma cultura que se resume à piradinhas e ostentação (aí não vejo feministas berrando contra a exploração do corpo da mulher), novelas, e outras aberrações que os proletas ainda recebem sorrindo. Pois é forçoso demais pensar, sair do quadradinho que conforta, afinal tem carnaval, bbb, sempre uma distração ao gado que protesta, protesta, mas nunca aprende.
      Vivendo no lamaçal da obliteração mental, espirirual, e moral.

      Eliminar