terça-feira, 12 de novembro de 2013

Deus se arrepende?

ARGUMENTO:  “A bíblia é contraditória ao falar sobre o arrependimento de Deus. Em determinado lugar ela diz que Deus jamais se arrepende (1Samuel 15:29). Mas em outros lugares ela afirma que Deus se arrepende (Gênesis 6:6), (Êxodo 32:14), (1Samuel 15:11,35), (Jonas 3:10)”.


Já vi muito ateu criticando os religiosos que se atrevem a falar sobre ciência sem serem cientistas. Por outro lado, porém, eles não vêem problema algum em meter o bedelho em assuntos teológicos sem serem teólogos! Acho até engraçado ver como alguns neo-ateus se comportam como “guardiões da ciência”, como se a ciência fosse propriedade privada do ateísmo! Eles ficam extremamente irritados quando um religioso começa a questionar a abiogênese ou a evolução.  O irônico, no entanto, é saber que o próprio Darwin, quando começou a elaborar sua teoria, tinha apenas um diploma de teologia.

Não vejo nada de mais em um leigo falar sobre um assunto do qual ele não é especialista. Você não precisa ser biólogo para falar sobre  biologia, mas para debater o assunto você precisa saber pelo menos o básico do básico. Debater sobre um assunto que você ignora completamente é pedir para passar vergonha. Da mesma forma, você não precisa ser teólogo para falar sobre assuntos ligados ao campo da teologia! De novo, basta apenas conhecer o básico do básico.

Infelizmente tenho notado que esses neo-ateus que vivem procurando falhas na bíblia ainda precisam estudar muito para chegar a um conhecimento básico de teologia. São verdadeiros trogloditas vomitando asneiras.
De fato a maioria dos neo-ateus jamais leu a bíblia. Eu até entendo a dificuldade deles! Afinal, um livro daquela grossura, sem nenhuma gravura...  



Essa lista com supostas contradições bíblicas que circula pela internet provavelmente nem é oriunda da leitura e análise bíblica de um ateu, mas de religiosos não cristãos (grupos islâmicos, por exemplo). Tudo o que o neo-ateu faz é copiar a lista pronta e espalhá-la. 

Mas vamos ao assunto:

Hoje vamos falar sobre uma suposta contradição bíblica muito apontada por esses pseudo-teólogos de internet.  Já falei sobre contradições bíblicas nesse artigo aqui, mas separei essa daqui para falar com mais detalhes.

Afinal de contas, Deus se arrepende ou não se arrepende?

O “arrependimento” de Deus na bíblia pode ser classificado como uma figura da linguagem antropopática.  Mas o que é linguagem antropopática? Vamos consultar o dicionário:

Linguagem antropopática:
1 Relativo ou pertencente à antropopatia. 2 Que atribui sentimentos humanos a algum ser que não é humano.
(dicionário Michaellis)

Agora vou explicar da forma mais simples possível para que os neo-ateus burrinhos possam entender:

Na linguagem antropopática os sentimentos de Deus são comparados aos sentimentos do homem para que possamos ter uma melhor compreensão. Contudo, os sentimentos de Deus não são idênticos aos dos homens.  Antropopatia, portanto, seria o ato de se atribuir sentimentos humanos a Deus. Quando comparamos os sentimentos de Deus com os nossos sentimentos fica mais fácil entende-los. A idéia é essa.



A diferença entre o arrependimento humano e o “arrependimento” de Deus é que o ser humano se arrepende quando comete algum erro. Deus, por sua vez, não comete erros. A palavra “arrependimento” quando atribuída a Deus significa “mudança de atitude”. Ainda não entendeu?  Vou tentar explicar melhor:

O “arrependimento” de Deus nada mais é que uma mudança de atitude devido a um contristamento, desgosto ou misericórdia. Deus ficou profundamente angustiado por causa do trágico pecado da raça humana (e não por ter cometido algum erro).  Isso fez com que sua disposição para com as pessoas mudasse. Sua atitude de misericórdia e de longaminidade passou à atitude de juízo.

A palavra hebraica “Na·hhám” ou “naham” (arrepender-se) significa literalmente “mudar de idéia ou de propósito/ compadecer-se ao ponto de alterar a execução de um ato planejado e já declarado”.

 Essa expressão também pode ser usada em referência a quem está de luto, sendo consolada e sentindo tristeza profunda. O que os nossos amigos críticos precisam entender, é que quando o verbo “naham” é usado em referência a Deus, ele está no passivo “nifal”, o que significa que o sujeito (nesse caso Deus) sofre ação. A expressão indica que Deus ficou com “o coração pesado”, triste ou angustiado diante do comportamento pecaminoso do homem, o que fez com que ele tomasse uma atitude de juízo. Em outras partes, porém, a atitude tomada foi a de anular o castigo já declarado em vista da atitude positiva do ser humano (ex: Nínive).  Em ambos os casos a palavra “arrepender-se” é utilizada.

É até razoável essa confusão que os críticos fazem, pois tal palavra, em nosso idioma, geralmente está relacionada a erro. Pessoas geralmente se arrependem por ter feito algo que não deveriam ter feito (por cometerem erros). Deus, por outro lado, muda sua atitude de acordo com o que observa no comportamento humano, e essa mudança de atitude é chamada de "arrependimento".

Diante de uma situação Deus pode sentir extremo desgosto e resolver castigar, ou sentir compaixão e resolver anular o castigo. Ambas as palavras “desgosto” e “compaixão” são representadas no Antigo Testamento pela palavra “naham” (arrepender).

Compare o mesmo versículo em duas traduções diferentes e veja por si mesmo:

Então, o SENHOR arrependeu-se do mal que dissera que havia de fazer ao seu povo” (Êxodo 32:14 – Tradução de João Ferreira de Almeida revista e corrigida, edição de 1995). [grifo meu]

“Então o Senhor Deus mudou de idéia e não fez cair sobre o seu povo a desgraça que havia prometido”. (Êxodo 32:14 – Tradução Linguagem de Hoje). [grifo meu]. 

2 comentários:

  1. Essa explicação não muda o pensamento do ateu. Antes de qualquer coisa, você já afirma que Deus existe. Enquanto o ateu não acredita. Linguagem antropopática:
    Veja: 2. Que atribui sentimentos humanos a algum ser que não é humano. O dicionário não diz que o ser é Deus. Você diz.
    (dicionário Michaellis)

    ResponderEliminar
  2. esses sentimentos de Deus são sentimentos humanos. Por mais que se queira negar, usando outros sinônimos, ainda assim serão sentimentos humanos, e dessa forma leva a sérios problemas de interpretação. Somente os cegos entenderão.

    ResponderEliminar