domingo, 17 de agosto de 2014

Refutando um vídeo ateu sobre os 10 mandamentos

Hoje vou fazer algo um pouco diferente. Vou comentar o vídeo de um vlogger ateu chamado Salatiel Júnior, que encontrei no Youtube. O vídeo tenta mostrar supostas contradições nos 10 mandamentos. Convido-o a assistir o vídeo e depois ler minhas respostas. Vamos dissecar a argumentação dele e ver no que vai dar.

video

Caso não consiga assistir ao vídeo, assista-o pelo Youtube clicando aqui.

Primeiro mandamento: “Não terás outros deuses diante de mim”

ATEU: “O primeiro mandamento na verdade nem é bem um mandamento. Na minha opinião é algo assim que, para quem não crê nesse Deus, é algo totalmente inútil. E até para quem crê”


NEOATEISMODELIRANTE: Senhor ateu! O fato de você não ver utilidade nesse mandamento, não significa, necessariamente, que ele não tenha utilidade para outras pessoas. Você está sendo meio egocêntrico! Por acaso ignora que muitos religiosos nos dias de hoje ainda seguem as Leis mosaicas?  Até mesmo os cristãos, que não estão debaixo da Lei de Moisés, consideram esse mandamento importantíssimo, pois ele é a base da fé monoteísta. Além disso, nenhum cristão pode negar o valor espiritual do Velho Testamento, uma vez que acreditamos que toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, redargüir, corrigir e instruir  (2Timóteo 3:16). Então não venha nos dizer o que é, ou deixa de ser importante ou útil para nós. Fale apenas por você mesmo. Lembrando que as duas maiores religiões do mundo (Cristianismo e islamismo) são monoteístas (vide ).
 Portanto você já deve imaginar quantas pessoas no mundo consideram o primeiro mandamento importante e essencial! E mais uma coisa: um mandamento não deixa de ser mandamento só porque alguns indivíduos não o obedecem, assim como uma lei não deixa de ser lei só porque alguns indivíduos não a respeitam.


Segundo mandamento: “Não faça e nem adore imagens de escultura”

ATEU: “Outro mandamento que não tem função prática, social nenhuma”

NEOATEÍSMODELIRANTE: É claro que tinha função social. As Leis mosaicas não eram somente um conjunto de regras religiosas, mas um conjunto de normas jurídicas também! Era a própria Constituição dos hebreus, visto que viviam numa teocracia (sistema de governo em que as ações políticas, jurídicas e policiais são submetidas às normas religiosas). E manter o povo longe do politeísmo e idolatria que caracterizavam todas as religiões do antigo Oriente naquela época, era a maneira mais eficaz  de preservar a própria identidade religiosa e jurídica dos hebreus, e ao mesmo tempo controlar os comportamentos e ações dos indivíduos de acordo com os princípios daquela sociedade.
 No Novo Testamento o apóstolo Paulo diz que a Lei serviu como um tipo de “aio” (Gálatas 3:24). Segundo o Dicionário Informal, a palavra "aio" vem de uma palavra grega que significa, literalmente, "uma pessoa que conduz uma criança", um pedagogo. Os hebreus precisavam dessa direção para ajudá-los a amadurecer e construir uma nação sólida.


Terceiro mandamento: “Não pronuncie o nome de Deus em vão”

ATEU: “Você não pode falar ‘graças a Deus’, ‘pelo amor de Deus’, ‘ai meu Deus’, isso é tomar o nome Dele em vão”

NEOATEÍSMODELIRANTE: Não, não é! Como o ateu mesmo reconheceu em seu vídeo, “Deus” não é um nome, e sim um título. Portanto pronunciar a palavra DEUS não faz ninguém violar o terceiro mandamento. O objetivo real desse mandamento era o de impedir que pessoas usassem o nome de Deus para fazer falsas promessas (Levítico 19:12),  amaldiçoar ou blasfemar.


Quarto mandamento: “Guardar o Sábado”

ATEU: “O quarto mandamento é sobre o Sábado. Embora os cristãos não gostem disso, o quarto mandamento fala para você lembrar do dia do sábado para descansar, que Deus santificou o sétimo dia, blá, blá blá...”

NEOATEISMODELIRANTE: A Lei mosaica tem um valor espiritual e didático enorme para os cristãos  (2Timóteo 3:16), mas não estamos  debaixo dela (Romanos 10: 4/ Gálatas 5:4) . A Lei foi dirigida aos hebreus, e somente a eles. Esse assunto foi amplamente discutido entre os membros da igreja primitiva, e ficou claramente decidido que as únicas coisas da Lei mosaica que os cristãos são obrigados a observar, são: “não se contaminar com a idolatria, nem com a prostituição,  não comer animais que morreram sufocados e nem se alimentar com sangue” (Atos 15:20). O restante só vai ser observado pelos cristãos se o ensino for ratificado na doutrina cristã do Novo Testamento.

Por exemplo: o oitavo mandamento proíbe o furto. Mas como cristão não sou obrigado a observar a Lei mosaica! Isso quer dizer que posso roubar? Claro que não! A doutrina cristã também condena o furto (1Cor. 6:10). Na verdade a doutrina cristã da Nova Aliança continua condenando quase tudo o que os 10 mandamentos condenavam:

1- Continua condenando o politeísmo (At 14.15)
2- A idolatria (1 Jo 5.21)
3- O uso indevido do nome de Deus (Tg 5.12)
4- ???
5- O desrespeito aos pais (Ef 6.1)
6- O assassinato (Rm 13.9)
7- O adultério (Rm 13.9)
8- O furto (Rm 13.9)
9- O falso testemunho (Cl 3.9)
10- E a cobiça por coisas alheias (Rm 13.9)

Dos 10 mandamentos, o único que não foi ratificado pela Nova Aliança foi a guarda do Sábado, que era um mandamento mais cerimonial. As pessoas que aparecem no Novo Testamento guardando o sábado eram judeus que estavam debaixo da Lei.
E me desculpem os adventistas, mas nem mesmo vocês guardam o Sábado. Veja bem:  os judeus que guardavam o Sábado não podiam caminhar mais que um quilômetro nesse dia (Atos 1:12). Muitos adventistas violam o Sábado só por caminhar até a igreja para assistir ao culto no Sábado. Os judeus que guardavam o Sábado também preparavam seus alimentos na Sexta feira (Êxodo 16:23), pois no Sábado eles não podiam sequer ascender fogo dentro de casa (Êxodo 35:3). Pensou que guardar o Sábado era só ficar atoa o dia inteiro? Sabe de nada inocente!

Mas voltando ao ateu do vídeo, a crítica dele ao quarto mandamento foi mais simplista. Para ele o quarto mandamento é irrelevante porque ninguém o segue atualmente, e também porque ele não tem importância social, ou seja, não muda a vida de ninguém.  Pode até ser que esse mandamento não mude a vida de ninguém atualmente, mas certamente já ajudou muita gente no passado. Pensem em quantos escravos, trabalhadores em geral e animais que se beneficiaram com esse dia de folga toda semana. Se não fosse essa Lei, muitos trabalhadores seriam explorados por seus senhores e certamente teriam que trabalhar todos os dias, de forma desumana. Naquele tempo não existiam leis trabalhistas ou sindicatos... era só o patrão e seu chicote! Mas o problema desse vlogger ateu é seu anacronismo.  Ele quer contestar leis criadas em outras épocas, em contextos completamente diferentes dos nossos, usando critérios atuais! Tisk, tisk, tisk!

Quinto mandamento: “Honrar pai e mãe”

ATEU: “Esse é o primeiro mandamento com promessas, então se você honrar o seu pai e sua mãe, os seus dias vão se prolongar. Isso faz sentido, eu sou totalmente a favor de honrar o pai e a mãe, desde que os pais tenham respeito pelos filhos, pois existem muitos pais por ai que não têm respeito pelos filhos, que os tratam como cachorros ou porcos... nesse caso acho que não se deve honrar pai e mãe... Se eu respeitar os meus pais, eu vou ter benefícios, se eu precisar de algo eles vão me ajudar... ”

NEOATEISMODELIRANTE: Em certo trecho do vídeo, o ateu alega que, diferente dos cristãos, os ateus e outros incrédulos não seguem esse mandamento simplesmente porque “Deus mandou”, mas porque acham importante honrar quem os alimenta e os educa. Dessa forma fica parecendo que o ateu tem uma atitude mais nobre do que a do religioso, pois enquanto o religioso segue o mandamento apenas porque “Deus mandou”, o ateu segue porque “acha importante e blá, blá, blá”.
O ateu aqui está fazendo um tipo de “leitura mental”! Como é que ele sabe que o religioso honra os pais “só porque Deus mandou”? Será que o religioso também não acha importante honrar pai e mãe, independente daquilo o que a bíblia diz? Parece que para esses ateus militantes os religiosos são incapazes de fazer o bem por vontade própria. Mas em seu discurso o ateu deixou escapar algo nada nobre! Ele pode até não precisar da religião para achar importante  honrar o pai e a mãe dele, mas ele acaba estabelecendo certas  “condições” para agir dessa forma, ou seja, se os pais dele não agirem da forma que ele espera, ele se vê no “direito” de não ter respeito por eles! Suzane von Richthofen curtiu isso!

Sem contar que ele deixou bem claro que espera receber benefícios de seus pais em troca desse respeito.  Do que adianta condenar o religioso por fazer o bem de forma mecânica, só para obedecer mandamentos, mas ao mesmo tempo declarar que faz o bem por interesse? Ele não se torna mais nobre que os religiosos que está criticando agindo dessa forma.
É ai que percebemos a superioridade da moral cristã, pois o mandamento fala de respeito incondicional pelos pais, e só uma alma nobre conseguiria agir assim.
 E para finalizar com “chave de ouro”, o ateu cita Lucas 12: 51 – 53, onde Jesus disse que não veio trazer paz, mas dissensão (divergência de opiniões entre duas ou mais pessoas). Na interpretação truncada do ateu, o fato de o Senhor Jesus ter dito que veio trazer dissensão ao invés de paz, joga no lixo tudo o que a bíblia diz sobre honrar pai e mãe. Mas  o que o Senhor Jesus quis dizer nessa passagem, é que a proclamação do evangelho provocaria divisões, discórdias (nem todo mundo aceitaria o evangelho de bom grado. Haveria também uma forte oposição). O cristão poderia sofrer rejeição até mesmo de seus parentes próximos. É claro que isso não é uma regra, mas acontece muitas vezes. Outra coisa que o vlogger ateu precisa aprender, é que a palavra “dissensão” não significa apenas "brigas" ou "desavenças", mas também “divergência de opiniões”, o que não é necessariamente uma briga.  Isso em nada anula ou contradiz o mandamento de honrar pai e mãe! O filho pode ter divergências de opiniões com seus pais, que podem até se opor à fé dele, mas isso não o impedirá de honrá-los. A linha de raciocínio do ateu é completamente falha.


Sexto mandamento: “Não matar”

ATEU: “Continuando: esse é o mandamento mais corrompido. O mais contraditório. Porque o sexto mandamento diz: não matarás, só que, de acordo com as últimas pesquisas , Deus mandou matar ou matou, por ordem direta ou ordenou seus profetas, de acordo com os últimos cálculos , 2.270.369 pessoas.” 


NEOATEISMODELIRANTE: Essas "pesquisas" e "cálculos" a que o ateu se refere, nada mais são que um cálculo feito por um blogueiro chamado Steve Wells, como você pode ver na própria referência que o ateu colocou na descrição de seu vídeo ( aqui ). O artigo compara o suposto número de mortes provocadas por Deus, contra apenas 10 mortes provocadas pelo diabo. Se a questão é quem matou mais, então os ateus podem ficar tranquilos, pois os maiores assassinos em massa do mundo eram ateus! O ateu Mao Tse-Tung, por exemplo, matou cerca de 70 milhões de pessoas. O ateu Joseph Stalin teria sido responsável pela morte de mais de 40 milhões de pessoas.E por ai vai!
Sim! A bíblia fala em muitas mortes. Pessoas que morreram em guerras, pessoas que praticaram suicídio, pessoas que tiveram morte natural e, como insistem os ateus, pessoas que morreram a mando de Deus...
Novamente preciso lembrar ao caro ateu que o povo hebreu vivia numa teocracia (as normas religiosas valiam como leis), e a punição prevista para certas violações dessas leis era a pena de morte. A Lei mosaica era a Constituição daquele povo. Veja, por exemplo, aquele caso muito polemico do homem que foi morto porque estava colhendo lenha no Sábado (Números 15: 32-36). Isso parece injusto? Parece uma punição desproporcional? Sim! Mas era a punição que a Lei previa.  A Lei era bem clara:

“Portanto guardareis o sábado, porque santo é para vós; aquele que o profanar certamente morrerá; porque qualquer que nele fizer alguma obra, aquela alma será eliminada do meio do seu povo.”

Êxodo 31:14

O homem certamente conhecia a lei, mas resolveu assumir os riscos. Ainda hoje, a previsão de pena de morte está na legislação de diversos países, como China, Irã, Arábia Saudita, Iraque e Estados Unidos.

Mas eu entendo onde o ateu quer chegar. Novamente a argumentação é bem simplista e superficial! Ele faz um paralelo entre as mortes citadas pela bíblia e a proibição do assassinato, e acha que isso é uma grande contradição. Nesse ponto eu poderia argumentar da seguinte forma: um juiz que condena (dentro da lei) um bandido à cadeira elétrica, está cometendo um crime? Esse juiz pode ser considerado um assassino? O que é um crime afinal? Veja como um dicionário online define essa palavra:

CRIME : s.m. Qualquer violação grave da lei moral, civil ou religiosa; ato ilícito (vide ).

Quando o Estado, através de seu poder judiciário, dentro do rigor da lei, aplica a pena de morte, não há crime algum. A ação é legítima. Mas o ateu sensível fica escandalizado quando lê que alguém foi morto na bíblia por violar o Sábado ou por cometer adultério... lágrimas descem dos olhos chorosos dos ateus sentidos, mas LEI É LEI CARAMBA!

O que o sexto mandamento proíbe é o homicídio deliberado, intencional, ilícito, e não a pena de morte como ato da justiça sujeito às regras do Direito e da Lei. Portanto não existe contradição no sexto mandamento. Lembrando que Deus é o Juiz de toda Terra (Gênesis 18:25).

Sétimo mandamento: “Não cometa adultério”

Ao falar do sétimo mandamento o ateu cita Oséias:3:1 e faz confusão entre as palavras “adúltera” (mulher que trai seu parceiro conjugal), e “adultera” (flexão do verbo adulterar). Tudo uma questão de acento (maldito acento! Kkkk). E o pior é que ele escreve a palavra ADÚLTERA com letras garrafais, para destacar bem! Para finalizar o ateu diz que ao mandar o profeta “adulterar”, Deus jogou o mandamento no lixo! E onde será que o tal ateu jogou seus livros de português? Mas o vlogger ateu não foi a primeira vítima dessa passagem!  Veja que até um “pastor” já caiu na armadilha do “acento traiçoeiro”:

video


https://www.youtube.com/watch?v=8fqDa8RPt0o&hd=1


Oitavo mandamento: “Não furte”

Para dizer que Deus violou seu próprio mandamento de “não roubar”, o vlogger ateu cita Êxodo 3: 21 –22, que diz:

“E eu darei graça a este povo aos olhos dos egípcios; e acontecerá que, quando sairdes, não saireis vazios,
Porque cada mulher pedirá à sua vizinha e à sua hóspeda jóias de prata, e jóias de ouro, e vestes, as quais poreis sobre vossos filhos e sobre vossas filhas; e despojareis os egípcios”.

Êxodo 3:21-22

Note que sublinhei a palavra “pedirá”, pois essa palavra, por si só, já mostra que a alegação do ateu não tem sentido.

O ateu ignorou completamente a palavra “pedirá”, e se concentrou apenas na palavra “despojareis”. Ora! Despojar pode significar tanto “roubar” como “privar da posse” (o que nem sempre tem conexão com roubo). Nessa passagem bíblica em questão, “despojar” certamente se refere à “privar da posse”, visto que a própria passagem é clara ao dizer que as mulheres PEDIRAM as jóias, ao invés de furtá-las! O que acontece aqui é que o povo israelita estava prestes a sair do Egito, depois de séculos de escravidão. Eles mereciam receber pelo trabalho que nunca lhes foi pago, mas não deveriam tomar nada à força. Deus faria surgir nos egípcios uma atitude favorável, de tal maneira que quando o povo de Israel pedisse prata, ouro e roupas, os egípcios lhes dariam com abundância. Não há absolutamente nenhuma contradição aqui.



Nono mandamento: “Não dê falso testemunho”

Aqui o ateu argumenta que o mesmo Deus que proibiu o falso testemunho, apoiou a mentira na passagem de 1 Reis 22: 21 ao 23. A passagem em questão diz o seguinte:


“Então, saiu um espírito, e se apresentou diante do SENHOR, e disse: Eu o enganarei. Perguntou-lhe o SENHOR: Com quê? Respondeu ele: Sairei e serei espírito mentiroso na boca de todos os seus profetas. Disse o SENHOR: Tu o enganarás e ainda prevalecerás; sai e faze-o assim.Eis que o SENHOR pôs o espírito mentiroso na boca de todos estes teus profetas e o SENHOR falou o que é mau contra ti.”

O que ocorreu nessa passagem é o que os estudiosos da bíblia chamam de “operação do erro” . A “operação do erro” é uma forma de punição usada por Deus para castigar aqueles que insistem em pecar continuamente. Em Romanos 1:24 a bíblia mostra que Deus havia “entregado algumas pessoas às concupiscências de seus próprios corações” como forma de castigo por não mostrarem interesse em reconhecer sua Supremacia (ver Romanos 1:21).
 Igualmente, em Romanos 1:26, as Escrituras nos mostram que Deus “entregou certos indivíduos às paixões infames”, pois, aquelas pessoas haviam se tornado imorais, praticando depravadamente o homossexualismo. Deus deixa bem claro em várias passagens bíblicas que reprova o homossexualismo, mas, mesmo assim, permitiu que essas pessoas se afundassem cada vez mais nessa prática como forma de punição.
Deus também reprova a mentira, é claro, mas pode permitir que alguém seja vítima da mentira como forma de punição. Os falsos profetas de Acabe abominavam a verdade e mentiam constantemente, e como punição seriam vítimas de suas próprias mentiras. Quando uma pessoa despreza a Deus e se apega voluntariamente à mentira, Deus entra em juízo contra ela permitindo a “operação do erro”, ou seja: a pessoa começa a acreditar em sua própria mentira experimentando de seu próprio “veneno” (2Tess. 2:10-11).
 O “espírito mentiroso” citado no versículo provavelmente é um dos agentes de Satanás. Deus, em sua soberania, pode usar  esses demônios para cumprir seus propósitos de punir ou provar as pessoas.


Décimo mandamento: “Não cobice nada de seu próximo”

Para dizer que Deus violou o seu décimo mandamento, o ateu utiliza a passagem de Números 31: 15 –18, insinuando de forma maldosa que Moisés teria preservado algumas virgens do povo inimigo para que os israelitas abusassem sexualmente delas. Isso é um absurdo e um erro grosseiro de interpretação bíblica. Eu já abordei esse assunto (aqui). Nem vou me dar ao trabalho de ficar repetindo o que eu disse aqui. Clique e confira. Sobre a escravidão, que o ateu fez questão de destacar, faço uma abordagem (aqui).

Resumo: A argumentação do ateu pode ser resumida em duas partes: 1 - Ele alega que os quatro primeiros mandamentos não têm utilidade social. 2 - Ele alega que o próprio Deus violou os demais mandamentos. Uma argumentação falha, pois como eu mostrei, os mandamentos tinham utilidade social, e a alegação de que Deus violou os mandamentos vem de interpretações truncadas da bíblia, e até mesmo de confusão com a língua portuguesa. Sem contar que os mandamentos foram dirigidos aos homens e não a Deus. 

4 comentários:

  1. A do sétimo mandamento foi a melhor!

    ResponderEliminar
  2. GUARDA O SÁBADO AINDA TA EM VIGOR, MAS NAO COMO OS FARISEU MANDAVA JA QUE ELE DIZIAS COISA ABSURDA DE O QUE NAO PODIA FAZER NO SABADO, MAS JESUS MOSTROU O QUE DEVEMOS FAZER NO SABADO

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caramba, Franciandro.
      É difícil acreditar que um analfabeto funcional igual a você tenha tanta "merda" para espalhar.
      Por favor, no mínimo use algum corretor ortográfico antes de divulgar tanta idiotice.
      BABACA!

      Eliminar
  3. KKKKKKKKK O VIDEO DO ADULTÉRIO FOI MASSA PUTS O REPORTE QUE TINHA QUE ENSINA ELE

    ResponderEliminar