sexta-feira, 28 de abril de 2017

Página da ATEA no Facebook foi derrubada

O direito de criticar dogmas religiosos é assegurado como liberdade de expressão, mas atitudes agressivas, ofensas e tratamento diferenciado a alguém em função de sua crença É CRIME inafiançável.  O problema é que nem sempre o ateu militante consegue discernir uma coisa da outra. Para alguns ateus militantes a liberdade de expressão qualifica qualquer tipo de comentário agressivo contra os religiosos, mas não é bem assim que a banda toca. 

Você pode criticar, contestar ou refutar qualquer ensino religioso, mas sem ferir a dignidade das pessoas que acreditam nesses ensinos. No entanto, parece que os editores da página da ATEA no Facebook nunca respeitaram isso. O que mais se via naquela página era o escárnio contra os religiosos. Os religiosos cristãos eram sempre citados como pessoas burras, idiotas e ignorantes. E isso, claro, pode ser qualificado como crime de ódio e intolerância religiosa. 
Ao invés de criticarem os dogmas religiosos, os editores da ATEA muitas vezes atacavam a pessoa do religioso, ferindo assim sua dignidade.

A queda


Ontem, dia 27 de abril, os seguidores da  ATEA no Facebook que tentaram acessar a página se depararam com esse aviso:


Era difícil de acreditar, mas a página tinha sido excluída do Facebook. Qual seria o motivo? Aparentemente a página tinha publicado algo ofensivo aos muçulmanos, e por isso foi denunciada:


Isso foi classificado como discurso de ódio pela moderação do Facebook:


Mas... espere um pouco! Essa página sempre fez discursos de ódio contra os cristãos e o Facebook nunca tomou uma atitude dessas. Bastou eles falarem um til contra os muçulmanos e levaram "ban" rapidinho. Se por um lado é muito bom ver uma página preconceituosa dessas caindo, por outro lado causa certa tristeza perceber que a lei não funciona da mesma forma para todo mundo. 

Uma segunda página pertencente ao bando grupo divulgou uma mensagem falando sobre o assunto e fazendo uma referência à "religião da paz"(Islã):



Obs: a página da ATEA foi restabelecida hoje, dia 28. E agora a pergunta é: vão continuar fazendo posts sobre os muçulmanos? 😉

3 comentários:

  1. Coisas ruins são insistentes? seu texto estava muito bom até você dizer isso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem tudo o que é insistente é ruim. Existe o lado bom da insistência também. Mas coisas ruins costumam ter essa característica. Obviamente não tive a intenção de generalizar. ;)

      Eliminar
    2. então podiam atacar cristão a vontade que não dava em nada mas bastou atacar muçulmanos,sera que tiveram medo de alguma coisa,sem falar que eles ainda fizeram piadinha com isso pelo amor de deus isso já esta irritando o pior de tudo é olha o tanto de gente que curte e segue a pagina eu mesmo faço isso mas só pra ficar de olho no conteúdo deles viu.

      Eliminar