domingo, 29 de maio de 2016

Ninguém pode provar que algo não existe



Muitos ateus usam esse tipo de argumento, principalmente os leitores de Dawkins. O ateu AFIRMA que Deus não existe, mas inverte o ônus da prova para o crente, dizendo que ele é quem tem a obrigação de provar que Deus existe. Veja que o ateu não está dizendo que não acredita na existência de Deus! Ele está AFIRMANDO que "Deus não existe", e como bem disse Craig, isso é uma "declaração de conhecimento", e portanto deve vir acompanhada de uma conclusão lógica, ou seja: "Deus não existe, porque..." (o ateu deve explicar). Quem afirma deve sustentar sua afirmação, pois se  não o fizer, a afirmação é inconsistente e não vale como argumento. Nesse ponto os ateus "dawkinianos", seguindo o exemplo de seu "mestre", vão alegar que é "impossível provar que algo não existe"... Ora! Se assim é, então por que afirmam que "Deus não existe"? Quando eles fazem essa afirmação não estão querendo literalmente provar que algo não existe? Craig joga a última pá de terra na cova do "argumento ateísta" quando PROVA que podemos sim, provar que certas coisas não existem, por exemplo:
* Não existem quadrados redondos
* Não existem solteiros casados
* Não existem notas verdadeiras de 3 Reais e etc e etc...

13 comentários:

  1. A existencia de deuses não pode ser provada. A existência de um carro, por exemplo, pode ser provada. Se não há nenhuma evidência de que criaturas sobrenaturais existem, quem afirma a sua existência é que deve provar. Aos intelectuais só resta continuar duvidando, pois ninguém é desocupado o suficiente pra ficar procurando evidencias minimas da existencia de unicornios cor de rosa, sacis, mulas sem cabeça, anjos,... Espero ter sido claro e iluminado a mente de alguem que ainda crê em bobagens

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Você e Dawkins pelo jeito são. Porque Dawkins não faz ciência ele ataca Deus com argumentos pseudo científicos.
      Tanto que muitos do próprio meio acadêmico não o levam tão a sério.
      E você que diz não perder tempo. Só sabe usar argumentos proselitistas como uma criança da quinta série.
      Você posta muito e não elucida nada. Argumentos rasos é a única coisa que eu leio nos seus comentários.
      E outra. A fé do ateu é acreditar (sem provar) que Deus não existe.

      Eliminar
    2. A fé do religioso é acreditar sem ter prova que existe ...

      Eliminar
    3. Deus é o quadrado redondo , o solteiro casado e a nota de 3 reais verdadeira e etc , etc e etc ...

      Eliminar
  2. A resposta simples é que Deus pode criar a tal pedra.
    "- Mas aí ele não pode levantar!
    - E é por isso que ele não cria. Ele pode fazer qualquer coisa, inclusive escolher não fazer coisas inúteis pra se contradizer".

    Eu sou ateu, e concordo que tem muito ateu com argumento burro. Agora, o problema desse blog é que tenta rebater o argumento burro ateu com argumentos mais burros ainda!
    Tenha dó, pra que ficar discutindo a possibilidade de provar a existência de Deus usando raciocínio lógico e obediência às leis da física, sendo que, se deus existe, o principal atributo dele é ser capaz de fazer coisas que a lógica e as leis da física não permitem? Religião é uma questão de fé, e não de lógica. Não existe uma física da fé. Ter fé é aceitar que as leis da física e lógica não explicam tudo, e que mágica acontece.

    Quem disse que o universo funciona de acordo com a lógica? A nossa cabeça funciona de acordo com a lógica e a gente tenta atribuir isso ao funcionamento do universo como se paradoxos não pudessem existir só porque a nossa cabecinha não consegue compreender. Paradoxos podem acontecer o tempo todo. O universo não deve satisfação alguma ao nosso limite de compreensão.

    ResponderEliminar
  3. Usando a mesma analogia do quadrado e solteiro e etc ... com essa analogia vc mesmo provou que deus nao existe ...

    ResponderEliminar
  4. Se eu afirmar q existe alienígenas... é vc q tem provar q eles não existem ou sou eu que tenho provar a existência deles ?
    Muito fraquinho seu argumento ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se você afirmar, você tem que provar. Agora, se alguém dissese que não existe, caberia a ele provar que não existe.
      Seria como um policial me prendesse só pelo fato de achar que eu sou criminoso, mas sem provas.

      Eliminar
  5. 1 No princípio, criou Deus os céus e a terra.
    2 E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.
    Que aguas ? A terra não está sem forma e vazia ?
    Fez a luz no 1º dia e o sol no quarto dia ...como se havia passado 4 dias ?
    14- E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos {ou estações} determinados para dias e anos. Esse foi o quarto dia ...
    ?????
    O começo da biblia e tudo q vc acredita provém dela ... na 1ª página já tem contradições...
    26 E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se move {ou roja} sobre a terra.
    27 E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou.
    Nossa imagem e semelhança ( nossa ) ?????
    Criou macho e fêmea?
    Deus só criou eva no capítulo 2 vs 22 em genesis ....
    Uééé ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Terra até hoje é sem forma. O formato esférico é apenas um repouso molecular, que nesse formato, consome o mínimo de energia. E estava vazia no sentido de não habitada.
      A cincia tambm alega que ja existia luz antes do sol, e eu achava que as lanternas não precisavam da luz solar.
      Sim! Nossa semelhança.O ser humano foi a última criação de Deus, nesse momento Ele estava a falar com Jesus. Além dos anjos que já estavam cumprindo suas funções.
      A narrativa bíblica não é retilínea. Se você viu o filme Cidade de Deus vai entender o que eu quero dizer.
      Ele relata a criação como um todo, depois explicando os pormenores, retrocedendo a cronologia na narrativa. Por isso essa suposta contradição.
      Espero ter ajudado.
      Deus te abençoe.

      Eliminar
  6. Você escreveu que é, sim, possível provar que certas coisas não existem e deu os seguintes infelicíssimos exemplos:

    * Não existem quadrados redondos
    * Não existem solteiros casados
    * Não existem notas verdadeiras de 3 Reais.

    Por que são infelizes? Porque a inexistência de quadrados redondos e de solteiros casados decorre dos próprios conceitos de quadrado e de solteiro, ao passo que a inexistência de notas de três reais verdadeiras decorre da decisão político-econômica do governo brasileiro de não emitir senão notas de dois, cinco, dez, vinte, cinquenta e cem reais.

    Esse "contra-argumento" seria equivalente ao de quem dissesse que é impossível provar a existência de contas em que dois mais dois fosse igual a cinco.

    Quando se diz que é impossível provar a inexistência de algo, quer-se dizer que é impossível provar não a inexistência de algo cuja existência seria impossível a priori porque contrariaria a própria definição do ente (um quadrado redondo), mas sim que é impossível provar que não existe algo cuja existência não é impossível a priori e poderia ser demonstrada, como, por exemplo, Papai Noel.

    Não cabe a mim, que nego a existência de Papai Noel, provar que ele não existe, porque, para o fazer, eu não apenas teria de refutar todas as possibilidades da existência dele que contrariam as leis da natureza (ele teria de viajar além da velocidade da luz para entregar presentes a todas as crianças do mundo na noite de Natal), mas também todas as possibilidades que as contrariam, porque quem acredita em Papai Noel acredita na existência de fenômenos que não respeitam essas leis.

    Da mesma maneira, quem acredita na existência de um Deus onipotente, onipresente e onisciente acredita em um ente cuja própria existência, com tais atributos, contraria as leis da natureza. Exigir de mim, que nego a existência dele, que prove que ele não existe me obrigaria não só refutar todas as possibilidades da existência dele segundo as leis da natureza, mas todas as possibilidades da existência dele segundo quaisquer ângulos concebíveis pela imaginação humana, ao passo que quem afirma que Deus existe pode provar a existência dele mediante uma única prova.

    É por isso que o ônus da prova é do crente. É por isso também que o ônus de provar que o acusado de homicídio é o culpado é de quem o acusa, porque ao acusador basta mostrar uma única prova contundente de que o acusado é o culpado para demonstrar a sua culpa, ao passo que o acusado, para provar que não matou a vítima, teria de se defender de cada acusação concebível contra ele: o acusador poderia dizer que o acusado não conhecia a vítima, nunca esteve antes com ela e a matou num lugar ermo, em que dissolveu o corpo dela num tanque de ácido, por isso não há registro em vídeo, não há testemunhas de que os dois se conhecessem, mas o acusado que se desincumbisse de provar que não a matou; se o acusado respondesse que morava na Grécia havia mais de dez anos quando o crime aconteceu, o acusador pode dizer que ele mandou matar a vítima por carta anônima sem digitais que foi queimada pelo assassino depois de cumprir a ordem do acusado.

    E assim é com o teísta: ele afirma que existe, apresenta uma suposta prova, o ateu refuta essa prova específica, e o teísta responde que tal refutação foi feita com base nas leis da natureza tal como são conhecidas, mas que Deus onipotente e onisciente não está adstrito às leis da natureza, o que obrigaria o ateu a conceber infinitas refutações baseadas em infinitas possibilidades que consideram cenários fantásticos em que as leis da natureza não têm validade.

    Enfim, o seu "contra-argumento" é imprestável porque diz demonstrar que é possível provar que algo não existe por exemplos de coisas cuja inexistência decorre da própria definição delas: quadrados, retângulos e triângulos redondos não existem porque quadrados, triângulos e retângulos são figuras geométricas que têm lados; solteiros casados não existem porque solteiro é aquele que não é casado e casado é aquele que não é solteiro etc.

    ResponderEliminar
  7. Acaso Deus precusa se sujeitar a natureza?
    A resposta é um sonoro NÃO. Se estamos a falar de Deus, é claro que ele não precisa se sujeitar a natureza, ele a criou, então a natureza que se sujeita a sua vontade, não só a natureza, o universo inteiro se sujeita a sua vontade porque Ele o criou.
    E o malabarismo jurídico que fizestes não muda o fato de que quem acusa tem que provar para atestar a certeza da afirmação.
    Ou seja, cabe àquele indivíduo (seja teísta ou ateísta) ter um embasamento cabal para sustentar sua tese.

    ResponderEliminar
  8. uma evidência da existência de Deus é a prova da inexistência de Deus, já que não há evidências de sua existência, muitos consideram a prova definitiva da existência de Deus

    ResponderEliminar