domingo, 12 de julho de 2015

Jeftá e o sacrifício de sua filha

ARGUMENTO: "A bíblia mostra uma passagem bizarra onde um pai sacrifica sua própria filha a Deus"

RESPOSTA: A passagem em questão se encontra no livro de Juízes, capítulo 11, onde um homem chamado Jeftá (Jefté) fez um voto a Deus dizendo que se obtivesse vitória contra os amonitas,  sacrificaria a primeira criatura que viesse ao seu encontro quando estivesse voltando para casa:

"E Jefté fez um voto ao Senhor, e disse: Se totalmente deres os filhos de Amom na minha mão,
Aquilo que, saindo da porta de minha casa, me vier ao encontro, voltando eu dos filhos de Amom em paz, isso será do Senhor, e o oferecerei em holocausto"
Juízes 11:30,31
 Jeftá obteve uma grande vitória sobre os amonitas e precisava cumprir o que prometeu. No entanto, ao voltar para casa, sua filha lhe saiu ao encontro, festejando a volta de seu pai:

"Vindo, pois, Jefté a Mizpá, à sua casa, eis que a sua filha lhe saiu ao encontro com adufes e com danças; e era ela a única filha; não tinha ele outro filho nem filha".Juízes 11:34


Jeftá ficou triste com a situação, mas não voltou atrás e cumpriu o que tinha prometido.

Essa passagem é polêmica e tem dividido opiniões sobre o que aconteceu com a filha de Jeftá. Alguns estudiosos acreditam que Jeftá realmente sacrificou sua filha, outros, no entanto, acreditam que não.  Os ateus militantes utilizam essa passagem bíblica de vez em quando em seus ataques contra a bíblia. Veja o exemplo abaixo:



A filha de Jeftá não foi morta

Em primeiro lugar, não existe nenhuma parte do texto dizendo que a moça foi morta em sacrifício. A Lei de Deus proibia terminantemente qualquer sacrifício humano. Isso era algo abominável a Deus:

"Assim não farás ao Senhor teu Deus; porque tudo o que é abominável ao Senhor, e que ele odeia, fizeram eles a seus deuses; pois até seus filhos e suas filhas queimaram no fogo aos seus deuses."Deuteronômio 12:31
Nenhum sacerdote hebreu faria um sacrifício abominável desses. As palavras da filha de Jeftá, bem como a frase final do versículo 39 indicam que a moça foi apresentada no templo como um "sacrifício vivo", tendo que dedicar toda a sua vida ao serviço do santuário e permanecendo virgem pelo resto de sua vida (Juízes 11:39):

"E sucedeu que, ao fim de dois meses, tornou ela para seu pai, o qual cumpriu nela o seu voto que tinha feito; e ela não conheceu homem; e daí veio o costume de Israel."
Juízes 11:39
Note a menção enfática ao celibato. A ênfase à virgindade da moça seria desnecessária caso ela tivesse sido queimada em holocausto.


8 comentários:

  1. Também acredito ser difícil sustentar a opção de que a moça fora sacrificada, como se faria, se fosse a um animal. Mas ficam algumas perguntas:
    1. E se fosse um animal que saísse ao encontro de Jefté?
    2. Qual Templo a filha de Jefté teria se dedicado? Não havia templo em Israel nessa época, e não há menção à virgens (mulheres até) trabalhando no santuário em Israel.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 1- Se fosse um animal seria sacrificado. Só que temos que pautar esses holocaustos, para que não fiquemos com a impressão errada. Os holocaustos eram animais oferecidos a Deus por diversos motivos (expiação de pecados, oferta de gratidão, em festas liturgicas, etc.).
      Mas a forma desses holocaustos eram geralmente feitos com a gordura para se queimar no fogo, sendo essa a libação a Deus. E a carne era consumida pelos ofertantes (exceto a parte do sacerdote que realizava o ritual).
      Em um modo mais leigo, seria um churrasco litúrgico.
      2- O único templo que Deus permitiu que fosse contruído, foi o de Salomão, que foi erguido alguns séculos depois. Mas havia somente o tabernáculo que era itinerante e erguido em ocasiões específicas. Não sendo ela levita, ela talvez tenha ficado como serviçal de algúm levita. Assim como Samuel foi dado a Eli para viver perante as ordenanças do tabernáculo.
      Espero ter sanado vossas indagações. Agora só depende de ti.
      Deus te abençoe!

      Eliminar
    2. 1- Se fosse um animal seria sacrificado. Só que temos que pautar esses holocaustos, para que não fiquemos com a impressão errada. Os holocaustos eram animais oferecidos a Deus por diversos motivos (expiação de pecados, oferta de gratidão, em festas liturgicas, etc.).
      Mas a forma desses holocaustos eram geralmente feitos com a gordura para se queimar no fogo, sendo essa a libação a Deus. E a carne era consumida pelos ofertantes (exceto a parte do sacerdote que realizava o ritual).
      Em um modo mais leigo, seria um churrasco litúrgico.
      2- O único templo que Deus permitiu que fosse contruído, foi o de Salomão, que foi erguido alguns séculos depois. Mas havia somente o tabernáculo que era itinerante e erguido em ocasiões específicas. Não sendo ela levita, ela talvez tenha ficado como serviçal de algúm levita. Assim como Samuel foi dado a Eli para viver perante as ordenanças do tabernáculo.
      Espero ter sanado vossas indagações. Agora só depende de ti.
      Deus te abençoe!

      Eliminar
  2. Vcs fazem o tradicional "rebolation" pra explicar ou mudar o sentido do que está escrito. Jeftá diz claramente que ofereceria o que saísse a seu encontro em holocausto. Por favor, pesquisem o significado dessa palavra antes de defenderem o que não tem defesa. A bíblia diz que ele fez conforme o prometido. Deviam se envergonhar dessa desonestidade intelectual.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desonestidade intelectual é usar isoladamente Malaquias 3:10 para coagir os outros a dar "dízimos".
      O próprio tópico é apenas um esboço de idéias baseado no que a própria torá diz.
      Mas a atitude de Jefté fica em conflito sobre, não passar seu filho ao fogo e, não voltar atrás com um voto feito à Deus. Apenas isso.

      Eliminar
  3. Os religiosos ficam de cara no chão e tentam encontrar um jeito de desdizer o que a própria bíblia diz. Não existe a menor razão para a bíblia dizer "matar" quando a palavra "oferecer em holocausto" já significa isso. No caso de Isaque, por exemplo, nenhum religioso vem com a lenga-lenga de que Abraao realmente não tinha a intenção de matar Isaque. Então porque acreditam que Jeftá não tinha intenção de matar sua filha? Diferentemente do caso de Isaque, no entanto, a bíblia afirma que o sacrificio sangrento foi feito!

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  5. Mais ainda, o proprio texto diz que todo ano as filhas de Israel passavam quatro dias lamentando pela filha de Jeftá. Ora, que tipo de lamentação tão enorme poderia ser essa pelo fato da garota ter sido "enviada para um convento"? Obvio que o texto só faz sentido se elas estavam lamentando a morte da menina, que foi sacrificada para a libertação de Israel.

    ResponderEliminar