terça-feira, 30 de maio de 2017

Atavismos, plesiomorfias e órgãos vestigiais


Apêndice caudal e espinha bífida



Lembro-me de uma conversa que tive com uma paleontóloga bem conhecida na internet. Na ocasião essa árdua defensora da teoria de Darwin me mostrou uma foto de um ser humano com rabo! Isso mesmo! Ela argumentou que isso era um exemplo de "atavismo", que seria o reaparecimento de uma característica primitiva em um organismo depois de várias gerações. Segundo os evolucionistas alguns dos nossos alegados ancestrais tinham rabo e viviam nas árvores.


Por que isso não comprova a ancestralidade comum?


É bom ressaltar que existem dois tipos de caudas humanas: a verdadeira (chamada apêndice caudal) e a falsa. A cauda falsa não possui haste óssea, cartilagem ou músculos. É somente pele e gordura.  Ela também não tem ligação alguma com o cóccix. Em alguns casos essa "cauda" nasce em outras regiões do corpo. No caso do menino da foto abaixo, ela nasceu na região do pescoço.
Apesar de ser muito parecida com um rabinho, essa elevação da pele não é uma cauda de fato. A falsa cauda humana é considerada uma malformação congênita.

Quanto ao apêndice caudal, a medicina também o considera uma anomalia. Nesse caso há ligação com o cóccix, mas o que ocorre é uma falha nos genes limitadores. Existem genes limitadores que limitam a quantidade de vértebras coccígeas em quatro (ou cinco, em alguns casos). Quando esses genes falham, o cóccix pode ter vértebras extras, como no exemplo abaixo:

As vértebras normais estão enumeradas em azul. As vértebras caudais estão enumeradas em amarelo.

Os evolucionistas usam essa anomalia como "evidência" de nosso parentesco com seres primitivos que tinham cauda. O interessante, porém, é que existe uma outra anomalia causada pelo mesmo problema: falha nos genes limitadores. Essa anomalia é chamada de polidactilia ( excesso de dedos nas mãos ou nos pés). Mas como não existe qualquer estória sobre ancestrais humanos que tinham mais que dez dedos nas mãos ou nos pés, os evolucionistas não usam a polidactilia como "evidência" para sua teoria.


Assim como os “dedos a mais” não indicam que os nossos supostos ancestrais possuíam mais dedos nas mãos, um cóccix com algumas vértebras a mais não indica que nossos supostos ancestrais possuíam rabo. Isso é só uma anomalia.

Se  o "rabinho humano" prova que descendemos de criaturas que tinham rabo, então o chifre do senhor Huang Yuanfan prova que nossos ancestrais tinham chifres! Pois é! Um chinês chamado Huang Yuanfan, de 84 anos, tem um chifre de mais de 7 centímetros. Será que isso prova nosso parentesco com os unicórnios? Rsrs. (vide).

Huang Yuanfan

Os evolucionistas também alegam que os embriões possuem "rabo" e "guelras". Segundo a Lei da recapitulação ontofilogenética os embriões, durante a fase de desenvolvimento, experimentam todas as etapas evolutivas. E como a crença evolutiva diz que viemos também dos peixes, encontrar guelras nos embriões humanos faria todo o sentido! Faria sim, se fosse verdade! Acontece que as tais protuberâncias que os evolucionistas chamam de fendas ou arcos branquiais não são guelras de verdade, mas apenas estruturas que vão dar origem a estruturas no seu pescoço e face (Langman, J. 1975, Medical Embryology, pág. 262). E o rabinho é apenas o cóccix do embrião!

Músculo palmar (longo) 




Os evolucionistas alegam que esse músculo é muito importante para os animais que usam os braços para ajudar na locomoção, mas que nos seres humanos ele é praticamente inútil, tanto é que muitas pessoas  nascem sem esse músculo e não sentem falta dele (11% da população mundial não têm esse músculo). O argumento aqui é: se temos esse músculo no corpo e ele é inútil, então ele provavelmente é um resquício evolutivo, um tipo de órgão vestigial! Algo que já foi útil para os nossos ancestrais, mas não é  útil atualmente, e a evolução está tratando de eliminar esse “pedaço desnecessário” de nosso corpo.

É importante ressaltar que esse músculo tem utilidade sim! O músculo palmar (longo) tem a função de flexionar a mão. Ele não é um músculo indispensável, é verdade! Você consegue flexionar sua mão perfeitamente sem ele, mas quando está presente ele ajuda a estabilizar  a articulação para que não ocorra um movimento indesejado durante a ação do músculo principal. Esse músculo é sinergista, ou seja, é um músculo secundário que tem por função ajudar o músculo principal. Dizer que esse músculo é um resquício evolutivo só porque ele não é indispensável para o movimento das mãos é apelar para especulações.

Costelas cervicais (costelas do pescoço)




As costelas cervicais são anomalias congênitas de causa desconhecida que se caracterizam pelo crescimento de uma costela extra em uma das vértebras do pescoço. Muitos evolucionistas espertinhos utilizam essa anomalia para dizer que isso é uma evidência de nosso parentesco com seres simiescos, mas como já vimos a causa dessa anomalia é desconhecida, e o que se fala além disso não passa de achismo.

Outros exemplos de "órgãos vestigiais" desmentidos:

DNA lixo (clique aqui)
Apêndice (clique aqui)
Mamilos masculinos (clique aqui)
Patas das baleias (clique aqui)




6 comentários:

  1. é mesmo incrível o quanto as pessoas são desesperadas em provar suas crenças em fabulas como a macro evolução,ah por favor é um absurdo pra mim dizer que viemos de uma ameba,alguns neo ateus expertinhos que inclusive costumam aparecer por aqui costumam dizer então que somos parentes de uma telha então,pois bem eu assim como outros daqui do blog prefiro ser parente de uma telha ou de um tijolo do que ser parente de uma simples ameba uma das formas de vida mais baixas e insignificantes que existem !

    ResponderEliminar
  2. Eles ignoram o assunto polidictalia porque teriam que dar o braço a torcer sobre os anaquins e refains. E teriam que admitir que a bíblia está certa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. verdade pra você ver a hipocrisia que é,pra mim a bíblia é a verdade

      Eliminar
    2. não sei qual é o problema com os refains e os anaquins.ja foram encontradas varias ossadas de pessoas com estatura alta desse jeito. É tão difícil assim acreditar,que esses gigantes realmente existiram ?

      Eliminar
    3. Caro Rogério. O problema nesse caso se deve ao alto número de fotos manipuladas que se encontra ba internet, o que põe muitas vezes a credibilidade de algumas descobertas em xeque.
      Mas mesmo que Deus se apresentasse para esses com rg e cpf, eles não iriam acreditar. Do mesmo jeito que muitos pentecostais se recusam a acreditar quando seus líderes são desmascarados.
      Mas temos que ficar alertas para tudo que nos rodeia, para não cairmos em nenhum engodo.

      Eliminar
    4. isso mesmo,lembrando que já houveram falsificações.acho que nós dois nos lembramos do post do blog mentirinhas brancas evangélicas.e realmente na internet da pra fazer tudo.

      Eliminar