domingo, 15 de janeiro de 2017

A questão da caridade e as alegações da militância ateísta




A militância ateísta adora atacar a igreja católica com a alegação de que o papa está cercado de ouro e riquezas, enquanto pessoas morrem de fome pelo mundo. Ao alegar isso o militante ateu tenta fazer parecer que a igreja é indiferente ao sofrimento humano. Isso obviamente não é verdade.



Não sou católico, mas se tem uma coisa que ninguém pode negar é o fato de que a igreja católica é a maior instituição de caridade do mundo. Vejamos alguns dados sobre essa instituição:

A igreja católica administra:

5.176 hospitais (sendo que 1.298 deles estão na África)
17.322 dispensários (a maioria na África)
648 leprosários
15.699 casas para idosos, doentes crônicos e deficientes.
10.124 asilos de órfãos
11.596 jardins de infância
3.663 centros de educação e reeducação social
92.971 escolas primárias
42.495 escolas de ensino superior e médio

(Fonte: Anuário Estatístico da Igreja – Agência Fides e Portalconservador).



O mais interessante de tudo isso é que apesar da suposta preocupação dos ateus militantes com os pobres e famintos, suas associações são incapazes de promover qualquer trabalho filantrópico. A ATEA, por exemplo, é a associação ateísta mais famosa do Brasil, e arrecada dinheiro de seus associados. E o que eles fazem com esse dinheiro? Gastam em processos na justiça para retirar crucifixos de paredes, processar jornais e programas de TV, entrar com representação no Ministério Público para cancelar  Marchas para Jesus, organizar protestos com secadores de cabelo durante a visita do papa, entrar com Ações Civis Públicas para proibir orações na Câmara de Vereadores e outras coisas inúteis. Ou seja, só se preocupam mesmo é com a própria militância. Pessoas assim não têm moral para falar daqueles que fazem alguma coisa de útil para a humanidade. 


1 comentário:

  1. E ainda estou esperando uma universidade ateísta. Porque católicas e luteranas já existem. Rsrsrs.
    Parabéns pelo artigo.

    ResponderEliminar