segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Ateus militantes usam tragédias para fazer pregação ateísta

O ateu militante é aquele tipo de ateu que não consegue guardar seus conceitos para si mesmo e por isso vive numa cruzada furiosa e intensa contra a religião. É aquele indivíduo que sente necessidade de fazer com que as outras pessoas deixem de crer em Deus. Sua principal ferramenta de proselitismo é o escárnio, o deboche. Acontece que às vezes esse deboche surge na hora errada.

Recentemente a Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (ATEA) fez  chacota com a queda do avião que transportava a delegação da Chapecoense, onde morreram mais de 70 pessoas (link). A "piada"foi criticada até mesmo por outros ateus. O post mostra jogadores orando ajoelhados, e logo abaixo a foto do avião destruído, acompanhada de um texto que diz: "Pode confiar amiguinho, Deus é fiel".

Post publicado pela ATEA

Após receber uma enxurrada de críticas, a página da ATEA no Facebook se pronunciou. No entanto, o que deveria ser um pedido de desculpas acabou se tornando mais um ataque contra a religião. Ao invés de pedir desculpas pela piada de mau gosto e desrespeito com os familiares das vítimas, o site acusou a religião de se aproveitar de momentos dolorosos como esse para impedir o pensamento racional.

"Pedido de desculpas" da ATEA

Infelizmente essa não foi a primeira vez que ateus militantes se envolvem em polêmicas do tipo. Vamos relembrar outros casos onde ateus militantes fizeram chacota com a morte de pessoas e usaram isso para atacar a fé em Deus:

ATEA usa foto de mortos em boate para afirmar que Deus não existe (link).


Esse também foi um caso que deu o que falar em 2013. O incêndio que ocorreu na Boate Kiss, em Santa Maria, matou 242 pessoas. Na ocasião a ATEA publicou a foto das vítimas carbonizadas. O título dizia: "Deus cadê você, cara?"

Censurei a imagem dos mortos como forma de respeito pelas vítimas


Além do desrespeito com as vítimas e seus familiares, a ATEA cometeu crime de vilipêndio a cadáver ao publicar as imagens dos corpos dessa forma (Decreto de Lei nº 2.848, artigo 212).

Ateus zombam de menino cristão morto por muçulmanos


No ano de 2015 a imprensa noticiou  a morte de  um garoto de 12 anos,  crucificado por radicais islâmicos na cidade de Aleppo, na Síria (link). Antes de ser crucificado o jovem teve as pontas de seus dedos cortadas. Seu "crime"? Ser cristão. Enquanto pessoas normais se indignavam com essa notícia, um grupo de ateus da ATEA fazia chacotas com a morte do garoto:



Ateus debocham de acidente com romeiros


Um acidente envolvendo um ônibus que levava romeiros de Campo Grande à cidade de Aparecida (SP) deixou 22 pessoas feridas. Somente pessoas doentias poderiam achar graça numa notícia dessas. E adivinha quem fez piadinhas com isso:



Jornal satírico Charlie Hebdo faz piada com morte de criança


No ano passado a imprensa noticiou a morte de um garotinho de 3 anos chamado Aylan Kurdi, que morreu afogado enquanto sua família tentava chegar à ilha grega de Kos.

Um policial turco carrega o corpo de Aylan Kurdi
Era o fim trágico da tentativa desesperada de um grupo de sírios em fugir da guerra que assola seu país. Kurdi também perdeu sua mãe e seu irmão no naufrágio. Notícia triste, mas não para os ateus militantes responsáveis pelo jornal satírico Charlie Hebdo. Esses canalhas resolveram fazer piadinhas com a morte do menino.

Em uma das charges Jesus aparece andando sobre as águas, enquanto Kurdi se afoga. O texto diz: "A prova de que a Europa é cristã - cristãos caminham sobre as águas... Crianças muçulmanas afundam".


Jovem atingido por um crucifixo gigante



Publicação da ATEA zomba da morte de um jovem. A legenda diz: "Ops! Foi mal! Mas faz parte de um grande plano! Confie!


Como se vê, os ateus militantes adoram fazer chacotas com tragédias, e ainda por cima usam essas tragédias para fazer suas pregações ateístas, numa total demonstração de desrespeito com as vítimas.

Para eles essas tragédias são "provas" cabais da não existência de Deus. Mas será mesmo?
Em primeiro lugar a bíblia JAMAIS prometeu que a vida nesse mundo seria um "mar de rosas"! Vivemos num mundo dominado pelo maligno (1João 5:19) e governado por Satanás (João 16:11). Um mundo totalmente desvirtuado. Nem aqueles que servem a Deus estão livres de problemas. A própria bíblia nos ensina que  ímpios e crentes estão sujeitos às mesmas intempéries nesse mundo (Eclesiastes 9:2). E também que passarão por aflições (João 16:33). Portanto não justifica esse proselitismo ateísta que visa usar tragédias como "prova" da não existência de Deus.

Vou fazer atualizações constantemente nesse artigo.

Atualização: 21/12/2016
Ateus fazendo piada com a morte do embaixador russo Andrei Karlov, morto por um radical islâmico (link):

Montagem 

Foto original

Atualização 16/09/2017: Morte do apresentador Marcelo Rezende


Acompanhamos com tristeza a luta do apresentador Marcelo Rezende desde que descobriu que estava com câncer no pâncreas e no fígado em maio desse ano. O apresentador optou por abandonar os tratamentos convencionais (quimioterapia) e se entregou a tratamentos alternativos como, por exemplo, uma dieta sem carboidratos e rica em proteínas e gorduras.
O apresentador também costumava falar publicamente de sua fé em Deus. Ele chegou a gravar alguns vídeos dizendo que tinha fé que seria curado. Isso atiçou os ateus militantes.
No dia 16 de setembro, porém, o apresentador veio a falecer, e como já era de se esperar os ateus militantes publicaram vários posts usando a morte do apresentador para fazer proselitismo ateísta. Alguns deles pareciam até comemorar.

A ATEA (Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos) chegou a culpar a religião pela morte do apresentador:




Ou seja, o apresentador tinha fé que seria curado e por isso abandonou os tratamentos para esperar pela cura divina. Para os ateus isso foi um erro grave, pois somente a medicina poderia curá-lo:



Só tem um detalhe que o ateu do comentário acima parece ignorar: a medicina é limitada! Ela é importante sim, mas nem sempre consegue curar. O apresentador Marcelo Rezende tinha um tipo de câncer muito agressivo e que não responde bem aos tratamentos convencionais. Os próprios médicos tinham dado a ele apenas 1% de chance de cura. Ou seja, ele já tinha sido desenganado pela medicina. O máximo que os tratamentos convencionais poderiam dar ao apresentador era uma pequena sobrevida e muitos efeitos colaterais dolorosos. Portanto ele fez a escolha dele.

Outros ateus concentraram seus ataques a Deus. Um ateu perguntava: "Onde está o deus todo poderoso?"



Ora! É normal que uma pessoa desenganada pela medicina busque ajuda na fé. Quando a ciência humana chega ao seu limite, as pessoas têm a tendência de se apegar a Deus. Alguns podem alcançar o milagre, outros não.  Mas o que entristece é essa mania dos neoateus de usar tragédias para fazer sua propaganda anti-Deus.




6 comentários:

  1. Vocês que possuem redes sociais levem essa amostra para as pessoas verem do que são feitos esses fascínoras neo ateístas.
    Cadê aquele bos*# do Thiago Freitas? Agora eu quero ver as desculpas dele. Quero ver quem é preconceituoso agora.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Religião Natural I
    (Um pouco mais daquilo que já foi dito algumas vezes)

    Religião Natural I e a crença em Deus

    Para nós da Religião Natural I acreditar ou não em Deus ou deuses não faz muita diferença.
    Segundo Tiago, um dos autores bíblicos, os demônios também acreditam em Deus e até tremem(e isso pouco importa para eles).
    O oriente médio inteiro acredita em Deus mas essa região á uma das piores do planeta para se viver(liberdade de expressão e segurança).

    Para a Religião Natural I desejar a existência de um Deus bom(da ciência, da caridade e do Direito) é muito mais importante do que acreditar em Deus.

    Devido ao descrédito que as religiões tradicionais lançaram no mundo ocidental, se estabeleceu um confusão e um ceticismo muito grande sobre esse assunto.

    Uma ideia(um meme) extremamente nefasto nasceu disso tudo:
    Já que Deus não existe posso:
    Comer o que quiser.
    Beber o que quiser.
    Consumir a droga que quiser.
    Praticar toda sorte de putaria e maldade possível.
    Já que vou morrer e desaparecer porque não sentir toda sorte de prazer que a carne pode proporcionar.

    Essa conclusão, que por incrível que pareça o Grande Paulo de Tarso também chegou, é doente e absurda.
    Mesmo que não exista Deus algum no universo ainda assim existimos.
    E é fácil perceber que não somos os criadores de nós mesmo.
    Algo muito além de nossa curta inteligência e nossas forças nos criou e nos possibilitou estar aqui.
    Isso por si só já deveria suscitar respeito e admiração, pela natureza, pelo cosmo.

    Mesmo que afirmamos:
    Deus não existe.
    Nós existimos.
    O universo existe.
    Existe toda uma complexidade acima de nós que nos possibilita vivermos relativamente satisfeitos(cada caso é um caso) nesse mundo.
    O que queremos dizer é que por trás de nossas vidas bem sucedidas ou não existe toda um estrutura absurdamente complexa que conspira para isso acontecer.

    Não perceber e não respeitar essa realidade é sinal de uma cultura demente e insana.
    Por outro lado tentar privatizar dando nomes específicos e impondo ideologias próprias a Deus ou deuses também não é uma coisa boa.

    Para a Religião Natural I Deus e seus atributos podem ser deduzidos a partir de uma leitura da complexidade das leis da natureza.
    Porém não podemos ainda afirmar se Deus tem consciência ou não.
    De maneira igual não é possível saber seu nome ou se tem realmente um nome.

    Da mesma maneira que Deus se revela por meio de sua criação também disponibiliza sua graça por meio de sua obra.
    A graça de Deus não está disposta de maneira igual para todos.
    Cada um segundo seu Karma toma posse dessa graça.

    Mas o fato da graça parecer diferente para cada pessoa na face da terra não significa ser mais ou menos feliz na proporção dessa graça.
    Isso quer dizer o seguinte:
    Um pescador pode ser sentir tão pleno quanto um milionário morando numa mansão de dez milhões dólares.
    Ou tão infeliz quanto um milionário morando numa mansão de dez milhões dólares.

    Essa mesma analogia serve para um agricultor e um médico.
    Um professor e um cientista.
    Um plantador de alface e um investidor em empresas de petróleo.

    A felicidade não tem relação com o que está fora mas com o que está dentro(a felicidade é um dom que não vem de nós(é um dom de Deus)).
    Porém como já foi explicado em outras oportunidades o homem natural possui parâmetros que precisam de valores corretos.
    Quando esses valores não são repassados adequadamente o homem adoenta e se torna infeliz(Não importa a condição social).

    ResponderEliminar
  4. Religião Natural I e a Questão de Gênero
    (Posição Oficial da Religião Natural I.)


    Como já afirmamos algumas vezes a divisão de gênero(macho e fêmea na natureza é meramente funcional(Um Padrão necessário à reprodução e organização das espécie e de acordo com o grau evolutivo dos espíritos aqui encarnados(Apenas Isso))).
    Deus não tem sexo.
    O espirito não tem sexo(Porque na ressurreição nem casam nem são dados em casamento; mas serão como os anjos de Deus no céu).
    Portanto nós da Religião Natural I não temos nenhum principio que justifique discursos anacrônicos, raivosos e homofóbicos.
    Apoiamos e aprovamos o casamento civil de pessoas de mesmo sexo e não enxergamos nenhum tipo de problema nisso.
    Algumas pessoas fazem discursos temerosos em relação a isso e argumentam que a família está em risco com a propagação da ideologia de gênero.
    Com todo o respeito a quem pensa assim esse tipo de argumentação não faz sentido.
    Até porque a família na natureza não se constitui um principio absoluto em si mesma mas uma forma transitória de organização das espécies(Como Já Foi Explicado).
    Outros formatos mais bem acabado e com mais eficiência poderão surgir com a evolução espiritual.
    E quem disse que o modelo hétero de família é essa maravilha toda.
    Se se der ao trabalho de percorrer as cadeias, presídios, hospícios, manicômios, hospitais, cemitérios, etc e fizerem uma pesquisa simples perceberão que %99,99 das pessoas que estão ali são de famílias héteros.
    As pessoas se apegam muito aos estereótipos das coisas.

    Uma Obs:
    O padrão(Default) na natureza é hétero.
    Mas há exceções que confirmam a regra.
    Obviamente se um indivíduo hétero for forçado a ser homo ele poderá apresentar pertubações sobre o que já foi explicado sobre repasse corretos de valores para os parâmetros.
    Mas o contrário também pode acontecer.
    Se um individuo homo for forçado a ser hétero também sofrerá danos graves.
    Se uma variação do padrão(Default) não trazer perturbação de ordem social não há porque reprimir isso.
    Sem querer fazer comparações maldosas mas para trazer um pouco de luz a isso podemos dizer que um estuprador é uma variação do padrão naturalmente aceito socialmente.
    Mas o estuprador quando age traz desordens sociais graves.
    O importante é avaliar o grau de comprometimento que essa variação de padrão acarreta a sociedade.
    Já está mais que provado que a variação de padrão homo afetivo não acarreta em si mesma perturbação de ordem publica ou privada.
    O comportamento psíquico social de um homo afetivo não difere substancialmente de um hétero afetivo.
    Dessa maneira não há razão alguma para se temer a homo afetividade.

    ResponderEliminar
  5. Religião Natural I
    (Os Valores Corretos para se Acessar a Felicidade)


    O Direito na concepção da Religião Natural I


    Nós da Religião Natural I não gostamos muito da expressão “meus direitos”.
    Essa forma de aludir ao Direito é um tanto egoísta.
    Para a Religião Natural I o Direito é algo natural.
    Uma extensão dos mandamentos de Deus(Quem me ama guarda meus mandamentos).

    Prestigiar o Direito é uma atitude de amor coletivo e não de amor egoísta.
    Quando prestigio o Direito publico, constitucional, legal também incluo meus direitos.
    Quem ama Deus e não ama, não cuida, de seu irmão, é mentiroso.

    Dessa maneira não é legal dizer:
    Meus direitos.
    Mas simplesmente o Direito(com D Maiúsculo).

    Uma Obs:
    Evidente que o Direito varia de povo para povo, de cultura para cultura.
    Em algumas vezes o Direito parece favorável àquilo que acreditamos ser bom e outras vezes não.
    Isso realmente é um problema.
    Mas mesmo assim devemos obediência e se organizar de maneira civilizada para mudar essa realidade.
    A rebeldia diante de um Direito autoritário nem sempre é a melhor saída.

    Mas o Direito autoritário não existe nas democracias ocidentais.
    No Direito brasileiro por exemplo não somos obrigados a fazer nada de ruim.
    Citando um exemplo:
    O aborto é permitido em alguns casos(Nós da Religião Natural I somo contra qualquer forma de aborto).
    Mas, salvo em alguns casos de inimputabilidade, mulher alguma é obrigada pela lei a abortar.
    Os Direitos nas democracias ocidentais raramente são autoritários.

    ResponderEliminar
  6. Cultura de redução de danos da Religião Natural I

    O que é uma cultura de redução de danos?
    Consiste basicamente em todas as vezes em que for lançar um produto, uma ideia, ou qualquer coisa do tipo fazer algumas perguntas básicas tipo:
    Isso é realmente necessário(Não sendo necessário pode ser deixado de lado)?
    Sendo necessário tem de ser feito dessa maneira(pode ser que exista outras formas menos desgastantes para se fazer a mesma coisa)?

    Isso vale para qualquer coisa que se produza, que se consuma ou se pratique embaixo do Sol.
    Um exemplo:
    Alguém realmente precisa tomar refrigerante?
    Não(A primeira resposta já descarta a necessidade de se produzir e se consumir refrigerantes).
    Digamos que alguém insista:
    Não é necessário mas eu tenho essa liberdade.
    Mas a partir daí fazemos outra pergunta:
    Qual o custo social e ambiental de se produzir e se consumir refrigerantes?
    Ambientalmente ele custa caro(pesquise na WEB o custo ambiental do refrigerante) e socialmente falando também(a obesidade e suas consequências é uma delas ).

    O ramo do entretenimento é a mesma coisa(Altamente concentrador de renda(Incluindo Esportes de Alto Rendimento)).
    Alguém realmente precisa se entreter consumindo álcool, drogas, comidas inadequadas, fazendo muito sexo e toda sorte de putaria, ouvindo música alta e etc?
    Não.
    Não se precisa disso.
    A pratica de esportes, caminhadas, jogos, os mais naturais possíveis, leitura, cinema, etc, são suficientes e com muito menos efeitos colaterais danosos.
    Ainda sobre essa coisa de entretenimento ruim quem ganha de fato com isso são as mídias em geral e alguns grupos de poucos artistas.
    Além das industrias de bebidas inadequadas, comidas inútil, etc.
    Mas o alto custo disso tudo é ambientalmente e socialmente muito alto descompensando completamente os prováveis poucos benefícios dessas práticas(Semelhante ao Carnaval).

    Tudo o que fazemos deve ser submetido aos critérios da cultura de redução de danos.
    A quantidade de alimentos que ingerimos(essa quantidade é realmente necessária).
    O tipo de alimento(Precisamos reduzir o consumo de proteínas animal(Tem alto custo ambiental)).

    A roupa que vestimos.
    Os sapatos que calçamos.
    A tecnologia que usamos.
    O entretenimento.
    Enfim...
    Nada deve ficar de fora.
    Tudo deve ser submetido aos critérios da cultura de redução de danos.
    Para o nosso bem e o bem de toda a humanidade.

    ResponderEliminar