quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Maria permaneceu virgem após o nascimento de Jesus?



A “virgindade perpétua de Maria” é um dogma da igreja católica. Esse dogma remonta aos primórdios da era cristã. Segundo o tal dogma, Maria permaneceu virgem mesmo após o nascimento de Jesus. 

Eu particularmente não acredito nesse dogma por dois motivos:

1- Jamais encontrei na bíblia qualquer referência dando a entender que Maria permaneceu virgem (ou que tivesse a intenção de permanecer virgem) até o dia de sua morte. 

2- A bíblia fala sobre os “irmãos e irmãs” de Jesus:

“Não é este o filho do carpinteiro? E não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos Tiago, e José, e Simão, e Judas? E não estão entre nós todas as suas irmãs?”
Mateus 13:55 e 56

“E disse-lhe alguém: Eis que estão ali fora tua mãe e teus irmãos, que querem falar-te.”
Mateus 12:47

 Segundo alguns teólogos católicos, a palavra grega “adelphos” (irmão) é freqüentemente usada em lugar de “primo, sobrinho, tio ou parente”. Portanto os “irmãos” de Jesus mencionados na bíblia seriam na verdade seus “primos” (Respostas da Bíblia – Pe. Vicente Wrosz  pág. 38).  

Eles também argumentam que o aramaico não possui palavras distintas para primo e irmão.

Pois é! Só que o Novo Testamento foi escrito em grego, e não em aramaico. E o grego possui palavras distintas para “primo” (gr. anepsios), parentes (gr. suggenes) e irmãos (adelphos).  Portanto é muito estranho que esses supostos “primos” de Jesus sejam sempre chamados na bíblia de “adelphos” (irmãos), ao invés de “anepsios” ou “suggenes” (primos ou parentes). A palavra “adelphos” geralmente é usada para designar irmãos de sangue. Se quisesse mesmo dizer que aqueles indivíduos eram “primos” de Jesus, o evangelista teria outras opções dentro da língua grega. 

Poderia Maria continuar virgem depois de dar a luz? 

Depende de como você define “virgindade”. Se “virgem” para você é somente aquela pessoa que nunca praticou sexo, então mesmo tendo o hímen rompido durante o parto, Maria poderia continuar sendo virgem (dentro desse ponto de vista, é claro). Do ponto de vista médico, entretanto, a ruptura do hímen significa perda da virgindade, pois para a medicina a virgindade é anatômica.

Porém, a única coisa que a bíblia ensina sobre esse tema é que Maria engravidou sendo ainda virgem, e que manteve essa virgindade ATÉ o nascimento de Jesus:

 "A virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e lhe chamarão Emanuel que significa Deus conosco.
Ao acordar, José fez o que o anjo do Senhor lhe tinha ordenado e recebeu Maria como sua esposa.
Mas não teve relações com ela enquanto ela não deu à luz um filho. E ele lhe pôs o nome de Jesus.”
Mateus 1:23-25

4 comentários:

  1. Gostei.
    Mas uma dúvida que eu tenho é: por que a Bíblia chama Isabel de prima de Maria? Não deveria chamar de "irmã"?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Daniel!
      Algumas tradução mais tradicionais, como a Almeida Revista e Corrigida (ARC) colocam Isabel e Maria como primas, mas de acordo com o original grego, Isabel era apenas uma parente de Maria. A palavra usada no original grego era "συγγενης" que não quer dizer nem prima e nem irmã, mas sim PARENTE. Isso quer dizer apenas que elas tinham algum grau de parentesco, não especifica qual.
      A NVI corrigiu esse mal entendido, assim como a Almeida 21. Sugiro que passe a adotar uma dessas versões que são bastante fiéis aos originais, tanto no hebraico e aramaico quanto no grego.
      Fique na Paz.

      Eliminar
  2. Sugiro respeitosamente que faça uma pesquisa no Google sobre o tratado de São Jerônimo sobre a virgindade perpétua de Maria. Se não quiser aprovar o presente comentário, fique inteiramente à vontade, minha intenção era principalmente falar ao moderador do blog. Faça a leitura, é fácil encontrar tradução em português, é um estudo feito por um teólogo do século IV, aliás o primeiro homem que traduziu a Bíblia toda para um único idioma. Pela leitura você vai perceber facilmente como os argumentos de São Jerônimo são muito fortemente embasados.

    Por exemplo, sobre a interpretação de que a expressão "irmãos de Jesus" significaria "filhos de Maria e José", como todo respeito, é um pouco infantil, e contradiz o próprio Evangelho, onde em outro trecho informa que os apóstolos ali citados como "irmãos de Jesus" são filhos de Alfeu, cuja esposa também se chamava Maria e era parente da Santíssima Virgem. Na realidade, tem duas interpretações possíveis: uma diz que Cléofas e Alfeu são a mesma pessoa, ele e sua esposa Maria são os pais dos Apóstolos Tiago (chamado "Menor" para distingui-lo do filho de Zebedeu), Judas Tadeu e Simão Zelote. Quando se casou com "Maria mãe de Tiago" (uma das mulheres que foram junto com Madalena, Salomé e Joana ao túmulo de Jesus no Domingo de Páscoa e constataram a Ressurreição!), Alfeu já era viúvo e pai de São Mateus. São, portanto, 4 irmãos apóstolos: Mateus, Tiago, Judas e Simão.

    A outra interpretação, seguida por Anna Catharina Emmerich (e também por mim) é que Cléofas era marido da irmã mais velha da Santíssima Virgem, que também se chamava Maria, e eles têm uma filha, chamada também Maria, que é a esposa de Alfeu e mãe de Tiago, Judas e Simão, os "irmãos de Jesus". Nota-se que o nome Maria era muito comum na família da Santíssima Virgem, o que não deve causar estranheza, lembre-se que alguns amigos de São Zacarias queriam chamar São João pelo nome do pai, e estranharam que ele fosse chamado de João porque não tinha nenhum parente com esse nome. De qualquer forma, nesta interpretação de que Cléofas seria o sogro de Alfeu, devemos entender que ambas as xarás e parentes da Santíssima Virgem acompanharam a Crucificação de Jesus. A "esposa de Cléofas" estava junto à Mãe de Jesus, aos pés da Cruz, conforme o relato de São João. Já a "mãe de Tiago" (filha de Cléofas) estava também ali por perto, junto a Maria Madalena, conforme os evangelhos sinóticos (desculpe, neste momento não tenho uma Bíblia em mãos para conferir com exatidão a citação).

    Como se vê, conforme os Evangelhos, é razoável supor que os irmãos de Jesus são filhos de Alfeu e netos de Cléofas, ou até mesmo uma outra interpretação de que Alfeu e Cléofas seriam a mesma pessoa. Alfeu e Cléofas talvez sejam a mesma pessoa (acho que não, mas teoricamente não é impossível). Porém, supor que Maria Mãe de Jesus, e Maria Mãe de Tiago, sejam a mesma pessoa... Ou supor que Alfeu e São José sejam a mesma pessoa... Aí é uma interpretação bem difícil, possível somente mediante a análise mais simplória possível, não acha?

    Em todo caso, leia o tratado de São Jerônimo, garanto que não se arrependerá. Se vai concordar ou não é outra conversa, não sei se vai concordar ou não, mas com certeza vai enriquecer os fundamentos com que pensa e debate, e é esta a razão da minha respeitosa e sincera sugestão.

    Posto como anônimo por questão meramente operacional, meu nome é José.

    ResponderEliminar
  3. Helvidio teve argumentos melhores do que Jerônimo,a noção de perpétua virgindade de Maria foi fruto o acetismo que foi aos poucos tomando conta da igreja,nos primeiros séculos não havia essa crença da virgindade perpétua não existia,Irineu Tertuliano e etc,o próprio Jerônimo não acreditav na virgindade no parto.

    ResponderEliminar