domingo, 1 de junho de 2014

A Fé é irracional?

ARGUMENTO: “A religião é irracional, e o ateísmo racional”

Vez por outra, vejo alguns ateus afirmando que a fé é algo “irracional”. Apesar de não haver consenso entre os ateus sobre o que é de fato o ateísmo, muitos deles defendem que o ateísmo é mera ausência de crença em divindades. 



Se formos definir o ateísmo dessa forma, devo supor então que o ateísmo é tão “racional” como uma pedra, pois em uma pedra  também há ausência total de fé. Se a ausência de fé em Deus fosse indicativo de racionalidade, até mesmo os macacos seriam racionais, pois eles também não demonstram ter qualquer tipo de fé em divindades. 

Nesse caso, a única posição irracional, por definição, é o ateísmo, pois não precisamos sequer de faculdades cognitivas para não crer em algo, haja vista que até uma pedra não crê em nada. Mas a fé em Deus só é encontrada em seres humanos, que são seres racionais por definição. Logo a racionalidade está intimamente ligada ao teísmo. Uma lesma, por exemplo, pode ser ateia, segundo essa definição de ateísmo (pois não tem fé em divindades), mas não pode ser teísta.

A fé faz parte da natureza humana. É como um instinto. O ser humano percebe instintivamente que existe algo superior e procurar venerá-lo a seu modo, e isso resulta numa grande variedade de seguimentos religiosos pelo mundo. Essa enorme diversidade de religiões nada mais é que a expressão do anseio e necessidade espiritual que faz parte da natureza humana.

Isso é uma das coisas que nos separam dos seres irracionais. Até mesmo em tribos indígenas complemente isoladas, a fé está presente. A fé é tão comum ao ser humano como nossos cinco sentidos: olfato, visão, audição, tato e paladar. E assim como existem pessoas deficientes em alguns desses cinco sentidos, existem aqueles que também são deficientes na fé. A deficiência certamente não está na crença, mas na descrença.

Isso inclusive está sendo comprovado cientificamente! Segundo o Dr. Justin Barrett, pesquisador sênior do Centre for Anthropology and Mind, da Universidade de Oxford, “A preponderância de evidências científicas recolhidas durante os últimos dez anos mostrou que há muito mais coisas embutidas no desenvolvimento natural das mentes infantis do que pensávamos – incluindo uma predisposição para ver o mundo natural como algo criado e com um propósito, e para ver algum tipo de Inteligência por trás desse propósito".
Barrett também afirmou que: "se colocássemos um grupo de crianças numa ilha e elas crescessem isoladas do resto do mundo, e sozinhas, muito provavelmente acabariam por acreditar em Deus.”
Uma outra experiência também foi citada. Ela foi feita com bebês de 12 meses. Tudo consistia em mostrar aos bebês um filme em que uma bola rolante atingia alguns blocos desorganizados e acabava organizando-os. Os pesquisadores notaram que os bebês ficavam surpreendidos ao ver algo sendo organizado por acidente.


Esses estudos mostram claramente que os jovens possuem uma predisposição para acreditar num Ser Supremo porque assumem que tudo o que existe no mundo foi criado com um propósito. Portanto a fé num Criador seria algo natural. 

Porém, para acreditar nas idéias do naturalismo filosófico, que aponta tudo como o resultado de "acidentes que deram certo", a criança precisa ser doutrinada primeiro, pois parece ser antinatural acreditar que acidentes produzem organização. 
( fonte ).



1 comentário:

  1. Em resumo, sem levar em consideração o que se defende no ateísmo, sabe-se que ele é um posicionamento filosófico. Isso qualquer um admite. Só que esquecem que a filosofia baseia-se em pensamentos e conclusões baseadas nesses pensamentos e, também, crenças. O erro maior está, na minha opinião, não em taxar o crente em Deus como um ser irracional simplesmente por crer, mas por se acreditar que ele é desprovido de pensamento lógico e racional. O fato é que, às pessoas maIs tementes a Deus que conheço, e aqui modestamente me incluo, são pessoas que estudam avidamente, tanto as coisas ligadas à Teologia quanto às coisas ligadas à Ciência (ou pseudociência), e veem muito mais sentido na "simplicidade" da criação Divina e DI. A "ciência", como está sendo apresentada, é completamente inconsistente com o que claramente observamos, e as pessoas se recusam a admitir isso.
    Um abraço, meu querido! Que o Senhor te abençoe e ilumine sempre.

    ResponderEliminar